Skip to content

Trabalhadores de Penedo que estão em situação precária no Espírito Santo clamam por ajuda

  • Home
  • Penedo
  • Trabalhadores de Penedo que estão em situação precária no Espírito Santo clamam por ajuda

Blog

Trabalhadores de Penedo que estão em situação precária no Espírito Santo clamam por ajuda

Trabalhadores estão em situação análoga a escravidão – Foto: reprodução

Um vídeo que tem circulado pelas redes sociais revelou a situação enfrentada por 11 trabalhadores naturais de Penedo, que se encontram presos em condições análogas à escravidão em uma fazenda de café no interior do Espírito Santo. O grupo, que inclui homens e mulheres, gravou o vídeo desesperado pedindo socorro e denunciando as condições desumanas em que estão vivendo na fazenda Campo Reis, localizada em Brejetuba.

Segundo relatos dos trabalhadores, eles estão sendo obrigados a trabalhar sem receber salário, apenas em troca de uma escassa quantidade de comida, enquanto dormem no chão de concreto frio de uma casa insalubre. Em imagens angustiantes, um homem exibe seu corpo marcado por mordidas de pernilongo, enquanto uma caixa d’água é mostrada como fonte de água suja e poluída disponibilizada pelo proprietário da fazenda.

“Estamos aqui no Espírito Santo para trabalhar em uma fazenda de café. Mas, chegamos aqui e já estamos devendo 9 mil reais apenas de passagem, além das compras que foram feitas. O dono da fazenda disse que se sairmos sem pagar, ele nos mandará prender. Não há café para colher para conseguirmos pagar nossa dívida. Muitos de nós estão doentes, com febre, e ele se recusa a comprar remédios”, desabafou um dos trabalhadores no vídeo.

Ainda segundo os trabalhadores, a jornada de trabalho é exaustiva, começando antes do nascer do sol e se estendendo até a noite, sob a vigilância constante de “capangas” que intimidam o grupo. A situação é agravada pelo fato de o proprietário deter os documentos dos trabalhadores, ameaçando perseguir o grupo caso tentem deixar o local.

Em imagens angustiantes, um homem exibe seu corpo marcado por mordidas de pernilongo – Foto: reprodução

O Ministério Público do Trabalho já se pronunciou sobre o caso, afirmando que está apurando as denúncias para tomar as medidas cabíveis. Enquanto isso, a secretária de Assistência Social e Direitos Humanos de Penedo, Ana Teresa Lopes, está mobilizada para auxiliar o grupo e trazê-los de volta para casa.

Veja os vídeos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

Mais Comentadas

Veja Também