Skip to content

Opera Sergipe posiciona o estado entre os primeiros do país que podem zerar a fila de espera por cirurgias eletivas pelo SUS

  • Home
  • Sergipe
  • Opera Sergipe posiciona o estado entre os primeiros do país que podem zerar a fila de espera por cirurgias eletivas pelo SUS

Blog

Opera Sergipe posiciona o estado entre os primeiros do país que podem zerar a fila de espera por cirurgias eletivas pelo SUS

Sergipe está entre os cinco estados do país prestes a zerar a espera por cirurgias eletivas no Sistema Único de Saúde (SUS), conforme previsão do Ministério da Saúde. Resultado de um planejamento desenvolvido ao longo dos últimos meses, o programa Opera Sergipe, do Governo do Estado, já realizou 5.964 cirurgias desde o seu lançamento, em 22 de julho de 2023. Isso significa que 3.913 pacientes que aguardavam por algum dos 15 procedimentos ofertados pelo programa saíram da fila de espera por uma cirurgia eletiva desde então. Um dos critérios do programa é realizar as cirurgias no prazo de 60 dias, após o primeiro atendimento do paciente. Segundo o Ministério da Saúde, os outros estados que podem zerar a espera nas filas de cirurgias são Tocantins, Piauí, Paraíba e Mato Grosso do Sul.

Ao conceber o Opera Sergipe, o Governo do Estado entendeu a necessidade de respostas rápidas à sociedade. Foram investidos, na primeira fase do programa, aproximadamente R$ 11 milhões, entre recursos estaduais e federais. Lançado no Centro Especializado de Reabilitação IV José Leonel Ferreira Aquino (CER IV), aparelho da Secretaria de Estado da Saúde (SES), em julho de 2023, o programa Opera Sergipe tem por objetivo ampliar a oferta de cirurgias no estado e a consequente diminuição do tempo de espera para a realização dos procedimentos de média e alta complexidade nos 75 municípios.

Casos céleres como o do esposo de Thaislaine Oliveira, que mora em Itabaiana, tornaram-se comuns desde o início da execução do programa. Ela acompanhava o marido na última quarta-feira, 3, na cirurgia de cálculo biliar (popularmente conhecida como pedra na vesícula), no Hospital e Maternidade Santa Isabel, em Aracaju, enquanto informava que o açougueiro fez o cadastro no último dia 27 de dezembro de 2023 e a equipe do Opera entrou em contato dia 2 de janeiro para fazer o procedimento. “Ele foi diagnosticado há dois anos e já estava começando a incomodar. Quando ele fez os últimos exames não dava mais para esperar. Achamos que o chamado para essa cirurgia de hoje demoraria. Foi uma surpresa para todos nós quando a equipe fez contato uma semana depois de fazermos o cadastro”, disse a esposa de Wesley da Cunha.

A professora de Língua Portuguesa Dilma Costa é de Moita Bonita, agreste sergipano, e também aguardava no Hospital Santa Isabel para a retirada de pedras na vesícula (cálculo biliar). “Descobri o problema há cinco meses. Fui ao posto de saúde de Monte Alegre, fiz todos os exames, dei entrada no programa por lá e me ligaram na terça-feira, 2”, expôs a educadora. História de atendimento rápido semelhante é a da técnica de enfermagem Cláudia Oliveira, que também é paciente com pedra na vesícula e foi operada no Santa Isabel. “Tive o diagnóstico há dois meses e o pessoal do Opera me ligou dia 25, no Natal! Trouxe os documentos e num intervalo de dez dias já estou pronta para operar”, celebra.

Cirurgias

O programa Opera Sergipe possui três fases e cada uma delas ofertará tipos diferentes de cirurgias. Nesta primeira fase são feitos 15 tipos de procedimentos, que incluem: histerectomia total, histerectomia com anexectomia, colecistectomia, postectomia, histerectomia (por via vaginal), correção cirúrgica de hidrocele, hernioplastia incisional, hernioplastia umbilical, hemorroidectomia, laqueadura tubária, colpoperioneoplastia anterior e posterior, hernioplastia epigástrica, hernioplastia inguinal bilateral, hernioplastia inguinal/crural (unilateral) e hernioplastia recidivante.

As cirurgias são feitas no Hospital Amparo de Maria (Estância), Hospital Nossa Senhora da Conceição (Lagarto), Hospital Nosso Senhor dos Passos (São Cristóvão) e Hospital e Maternidade Santa Isabel (Aracaju). Até o momento, foram feitas 1.462 laqueaduras tubárias, 1.224 colecistectomias, 1.071 histerectomias totais, 881 hernioplastias inguinal/crural (unilateral), 229 postectomia-histerectomias (por via vaginal), 103 hernioplastias incisional, 102 hernioplastias umbilical, 102 hernioplastias inguinal bilateral, 99 hernioplastias epigástricas, 94 colpoperioneoplastias anteriores e posteriores, 92 hemorroidectomias, 65 histerectomias com anexectomia, 47 correções cirúrgicas de hidrocele e 21 hernioplastias recidivante.

Sobre o programa

Para ser atendido pelo programa Opera Sergipe, o paciente deve fazer o cadastro numa Unidade Básica de Saúde (UBS) cadastrada ou em um dos hospitais habilitados (Hospital Amparo de Maria, Hospital Nossa Senhora da Conceição, Hospital Nosso Senhor dos Passos e Hospital e Maternidade Santa Isabel), ir à consulta, e, a partir da necessidade do diagnóstico médico, é marcada a cirurgia. Com o cadastro concluído, será possível acompanhar todo o processo pelo site ou aplicativo Opera Sergipe, disponível nos sistemas IOS e Android.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

Mais Comentadas

Veja Também