Skip to content

MS aponta que Alagoas registrou aumento da cobertura vacinal infantil

  • Home
  • Alagoas
  • MS aponta que Alagoas registrou aumento da cobertura vacinal infantil

Blog

MS aponta que Alagoas registrou aumento da cobertura vacinal infantil

Alagoas registrou em 2023 aumento das coberturas vacinais em 13 dos 16 principais imunizantes do Calendário Nacional de Vacinação destinado a crianças, quando comparado com 2022. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde (MS) esta semana, por meio de relatório emitido pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI).

O maior crescimento foi da vacina contra Febre Amarela, passando de 55,3% de cobertura em 2022 para 67,89% em 2023. A dose de reforço da Poliomielite aumentou de 73,47% para 81,49%. Já a da Hepatite A passou de 79,39% para 85,62%.

Ainda segundo o MS, o avanço na vacinação infantil foi identificado a nível nacional. Entre os destaques estão as vacinas contra a Poliomielite (VIP e VOP), Pentavalente, Rotavírus, Hepatite A, Febre Amarela, Meningocócica C (1ª dose e reforço), Pneumocócica 10 (1ª dose e reforço), Tríplice viral (1ª e 2ª doses) e reforço da Tríplice Bacteriana (DTP).

Mais de R$ 6,5 bilhões foram investidos pelo Ministério da Saúde em 2023 na compra de imunizantes, e a previsão é que esses recursos alcancem R$ 10,9 bilhões em 2024. O secretário de Estado da Saúde, médico Gustavo Pontes de Miranda, destaca que a vacina é o principal meio de se proteger contra inúmeras doenças.

“Vacinas são comprovadamente seguras, eficazes e salvam vidas. Por isso, é muito importante que todos os pais tenham a consciência de levar seus filhos para cumprir o esquema vacinal preconizado pelo Ministério da Saúde”, disse Gustavo Pontes, lembrando que estão em curso as Campanhas de Vacinação contra a Influenza e contra a Dengue.

Para a ministra da Saúde, Nísia Trindade, os dados demonstram o sucesso das estratégias coordenadas pela pasta. “Os números consolidados reafirmam que estamos no caminho certo, de retomada das coberturas vacinais de nossas crianças, após quedas consecutivas nos últimos anos, e de reconstrução de uma das principais políticas de saúde pública do país”, ressalta.

Por Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

Mais Comentadas

Veja Também