Skip to content

Iphan conclui restauração de Igreja em Penedo

  • Home
  • Penedo
  • Iphan conclui restauração de Igreja em Penedo

Blog

Iphan conclui restauração de Igreja em Penedo

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan – entrega neste domingo, 2 de agosto, à comunidade de Penedo, em Alagoas, o altar-mor da Igreja do Convento Franciscano de Nossa Senhora dos Anjos totalmente restaurado. A obra será inaugurada com a celebração de uma missa solene, também no domingo, às 9h, dia dedicado à Nossa Senhora dos Anjos – padroeira do convento. A presidente substituta do Iphan, Maria Emília Santos, estará presente na entrega da obra.

Foram sete meses de trabalho que devolveu à igreja os traços originais da construção do século 18. O altar-mor é feito com madeira entalhada, pintura e douramento com ouro brunido. Nos últimos quatro anos, o Iphan mantém um processo contínuo de intervenção no convento, tombado em 1941, mas a recuperação do altar-mor representa uma ação mais consistente, visto que traços marcantes da história do convento foram preservados. A cerimônia do dia 2, além de representar a entrega da restauração, marca também a devolução da igreja à comunidade, já que as missas vinham sendo celebradas no claustro do convento.

O convento e a igreja são da época colonial portuguesa e o altar-mor tem características do barroco. O trabalho de restauração foi realizado a partir de um levantamento histórico sobre as técnicas utilizadas para a construção e decoração do imóvel, com um investimento de R$ 343 mil por parte do Iphan. Com o processo de decapagem, foi possível retornar à pintura original e resgatar imagens perdidas com o passar dos anos. As cinco imagens de santos no altar também passaram por um processo de higienização. “Utilizando técnicas precisas, foi possível remover uma pintura sobre tela que, desde a década de 1950, escondia uma paisagem original do altar-mor”, destaca Sandro Gama, técnico da Divisão de Arquitetura e Urbanismo do Iphan em Alagoas.

Desde meados dos anos 1950, a igreja não sofria nenhum tipo de intervenção. À época, um mestre santeiro da cidade, Antônio Pedro, iniciou um processo de restauração que durou seis anos e trouxe ao altar a policromia, em tons de rosa e azul, uma imitação do que existe na Igreja de Nossa Senhora da Corrente, também em Penedo. Essa intervenção provocou ainda modificações em outros elementos integrados do convento, como o recobrimento de um feto no ventre de Nossa Senhora em elemento próximo ao arco-cruzeiro, além da cobertura dos seios de índias pintadas em outro altar.

A obra atual tornou-se necessária devido à ação de fungos, o envelhecimento do verniz e o ataque de cupins, que contribuiu para a desestruturação do madeiramento e de algumas juntas do altar. Toda a restauração foi realizada dentro do conceito de “canteiro aberto”, ou seja, a igreja permaneceu aberta durante as obras, o que possibilitou que a comunidade acompanhasse de perto o processo.

A empresa responsável pela restauração selecionou quatro pessoas da comunidade, com talento para a talha na madeira, que trabalharam ativamente na obra. De acordo com Sandro Gama, o Iphan quis dessa forma interagir com a população local e promover a capacitação profissional.

O Iphan e o Programa Monumenta em Penedo (AL)

Além do altar-mor da Igreja Nossa Senhora dos Anjos, o Iphan e o Programa Monumenta restauram na cidade de Penedo diversos monumentos tombados, além de imóveis públicos e privados. As obras na Casa da Aposentadoria e no Mercado Público da cidade estão em andamento, assim como a segunda fase da restauração da Igreja de Nossa Senhora da Corrente. Já a intervenção na Igreja de São Gonçalo Garcia está concluída. Todas foram feitas com recursos do Monumenta.

A reurbanização da orla da cidade às margens do Rio São Francisco também será feita com verba do Programa. Além disso, cerca de 30 imóveis privados estão sendo atendidos pelo programa de financiamento.

O Monumenta é um programa estratégico do Ministério da Cultura, que conta com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e apoio técnico da Unesco. Seu conceito é inovador e procura conjugar recuperação e preservação do patrimônio com desenvolvimento econômico e social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

Mais Comentadas

Veja Também