Skip to content

Estados brasileiros investem em sistemas de inteligência turística

Blog

Estados brasileiros investem em sistemas de inteligência turística

Os próximos anos prometem bastante inovação e tecnologia no setor do turismo. Isso porque, cada vez mais, os estados brasileiros têm investido nisso para potencializar seus atrativos. Um exemplo é o aumento de candidatos interessados em participar da estratégia nacional Destinos Turísticos Inteligentes – Modelo DTI Brasil, implantada pelo Ministério do Turismo em parceria com o Instituto Ciudades del Futuro – ICF, que ajuda as cidades a darem maior visibilidade aos atrativos turísticos, de forma inovadora e sustentável, comprometendo-se com pilares que impactam positivamente a qualidade de vida dos moradores e a experiência dos turistas.

Além do incentivo federal, municípios brasileiros já estão buscando avançar na transformação digital. Recentemente São Luís (MA) e Porto Velho (RO) lançaram tecnologias voltadas ao turismo nas regiões. Em São Luís, o ATENAS (Sistema de Inteligência Turística da cidade de São Luís) permitirá acesso em tempo real a informações de perfis de turistas, taxa de ocupação hoteleira, fluxo de visitantes, entre outros. De acordo com a prefeitura, o sistema é uma fonte confiável e abrangente de indicadores turísticos para monitoramento e tomada de decisões fundamentadas, reunindo dados primários coletados pela Setur e pelo Observatório Municipal do Turismo da cidade, completados por fontes oficiais.

Já Porto Velho apostou em um sistema de Inteligência Artificial que facilita o acesso à informação sobre o turismo da região. A MarIA atua como chat inteligente que ajudará moradores e turistas a se guiarem pelos principais pontos do local. A IA é capaz de sugerir pontos turísticos e atividades disponíveis na cidade de acordo com o perfil do próprio usuário, além de responder perguntas de forma personalizada.

Modelo DTI Brasil – É um projeto desenvolvido na Espanha que ajuda as cidades a darem maior visibilidade aos atrativos turísticos, com a implantação de tecnologias que tornam os destinos mais acessíveis e sustentáveis. No Brasil, foi adaptado pelo Ministério do Turismo com o objetivo de impulsionar a transformação digital, melhorar a experiência do turista e aumentar a competitividade de destinos. Em um primeiro momento, após avaliação de cumprimento de requisitos para se tornarem um Destino Turístico Inteligente, as cidades recebem certificados de “DTI em Transformação” e após implantarem até 80% dos planos de transformação, que abrange diretrizes com foco em: Governança; Inovação; Tecnologia; Sustentabilidade; Acessibilidade; Promoção e Marketing; Segurança; Mobilidade e Transporte e Criatividade, os locais adquirem o Selo DTI.

Recentemente, dez novas cidades brasileiras receberam a certificação DTI em Transformação: Foz do Iguaçu (PR), Goiânia (GO), Ponta Grossa (PR), Santos (SP), Joinville (SC), Vila Velha (ES), Fortaleza (CE), São Luís (PI), Gramado (RS) e Bonito (MS). Elas cumpriram todas as etapas previstas no edital do MTur e receberam o certificado. Belo Horizonte (MG) também foi contemplada pela iniciativa própria de desenvolver um plano de transformação seguindo a metodologia DTI Brasil.

Para a Diretora de Planejamento, Inteligência, Inovação e Competitividade no Turismo, Bárbara Blaudt, o DTI oferece atrativos melhores e mais bem preparados para turistas. “A gente trabalha dentro do destino, antes de qualquer coisa, com uma governança que ajude os municípios a conseguir melhorar a comunicação, incluir a comunidade no desenvolvimento dos produtos turísticos locais”, conta.

“A gente vem conseguindo que o turista tenha mais informação e melhores experiências colocando tecnologias dentro dos destinos para melhorar a forma de apresentar esse turismo para as pessoas. Isso tudo é um turismo inteligente”, explica a diretora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

Mais Comentadas

Veja Também