Skip to content

Penedense que coordena Rede de Atenção às Violências fala sobre ações do órgão na Penedo FM

  • Home
  • Alagoas
  • Penedense que coordena Rede de Atenção às Violências fala sobre ações do órgão na Penedo FM

Blog

Penedense que coordena Rede de Atenção às Violências fala sobre ações do órgão na Penedo FM

Thaylise Brito foi entrevistada por Guilherme Lopes nesta sexta, 24 – Foto: Roberta Feitosa

Em uma iniciativa para reforçar os serviços de proteção social, o Governo de Alagoas criou a Rede de Atenção às Violências (RAV), que conta com um Comitê Gestor formado por representantes das secretarias estaduais e da sociedade civil. A enfermeira Thaylise Brito, coordenadora operativa do programa, deu detalhes sobre o funcionamento do órgão em uma entrevista ao Programa Em Pauta, na Rádio Penedo FM, apresentado por Guilherme Lopes.

Brito explicou que, inicialmente, a RAV atendia a um grupo limitado, mas agora abrange oito populações vulneráveis do estado. “Atualmente nós acolhemos e oferecemos atendimento integral a crianças, adolescentes, mulheres, pessoas idosas, pessoas pretas, pessoas com deficiência, povos tradicionais, população em situação de rua e população LGBTQIAPN+,” afirmou, destacando que esse trabalho conta com a colaboração das Delegacias Especializadas de Defesa dos Direitos da Mulher e de Crimes Contra Vulneráveis.

Os serviços da RAV estão disponíveis em diversos hospitais do estado. Em Maceió, as vítimas podem procurar o Hospital da Mulher (HM), no bairro Poço, e o Hospital Geral do Estado (HGE), no bairro Trapiche. No interior, o atendimento ocorre no Hospital Ib Gatto Falcão, em Rio Largo, que acolhe todas as vítimas sem distinção de idade. Em Arapiraca, o Hospital de Emergência do Agreste (HEA) atende moradores dos 46 municípios que compõem a II Macrorregião de Saúde, abrangendo Agreste, Sertão e Baixo São Francisco.

Criada pelo Decreto nº 89.437, em 2023, a RAV já realizou quase 5 mil atendimentos. Thaylise Brito, que é penedense, ressaltou a importância da cooperação entre as instituições para a execução de ações transversais que enfrentam a violência contra populações vulneráveis.

“O RAV já se tornou uma referência na proposição, elaboração e articulação de planos de trabalho para implementar ações governamentais de enfrentamento à violência contra as populações vulneráveis, na perspectiva de romper esse ciclo e viabilizar um projeto de vida autônomo e restaurativo,” destacou.

A coordenadora também mencionou que a RAV promove reuniões bimestrais do Comitê Gestor, coordenadas pelo Gabinete Civil, para planejar e assegurar o cumprimento das ações pactuadas. “Os encontros visam planejar, articular e assegurar o cumprimento das ações pactuadas entre os membros da rede de proteção e garantia de direitos,” explicou Thaylise.

No programa, que lidera a audiência na região do Baixo São Francisco, a enfermeira afirmou que as ações são realizadas de forma humanizada para garantir proteção integral às vítimas. “Temos uma equipe multidisciplinar que atua no acolhimento inicial às vítimas de violência, e conta com especialidades em psiquiatria, ginecologia, obstetrícia, clínica médica e pediatria, para acompanhamento pós-violência num período mínimo de seis meses. Oferecemos ainda orientação jurídica e assistência segmentada nas áreas de psicologia e serviço social,” concluiu.

Guilherme Lopes, que é também Secretário Executivo de Saúde em Alagoas, destacou a importância da RAV, considerando a criação do órgão um marco significativo no apoio às vítimas de violência no estado, com integração de múltiplos setores e uma abordagem humanizada para garantir suporte vital às populações mais vulneráveis.

Confira a entrevista na íntegra:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

Mais Comentadas

Veja Também