Skip to content

Delegado de Penedo denuncia que politização do caso de trabalho escravo atrapalhou investigação

  • Home
  • Policial
  • Delegado de Penedo denuncia que politização do caso de trabalho escravo atrapalhou investigação

Blog

Delegado de Penedo denuncia que politização do caso de trabalho escravo atrapalhou investigação

Delegado regional de Penedo, Rômulo Andrade – Foto: reprodução

Em uma recente ação de resgate no interior do Espírito Santo, 11 trabalhadores de Penedo foram libertados de condições análogas à escravidão na fazenda Campo Reis, na cidade de Brejetuba no Espírito Santo. Os penedenses estavam submetidos a condições desumanas, porém a operação que poderia responsabilizar criminalmente os culpados foi comprometida devido a interferências políticas que utilizaram o caso para promover agendas próprias.

Segundo informações da Polícia Federal e do Ministério Público do Trabalho, uma operação estava planejada para ocorrer em grande escala, com o objetivo de flagrar e prender os envolvidos diretamente no local de trabalho. No entanto, o curso das investigações e das ações de resgate foi alterado devido a vazamentos e intervenções de figuras políticas que, segundo fontes internas, buscaram capitalizar sobre a situação para benefício próprio.

Além disso, tem circulado preocupações sobre como informações delicadas deste caso foram discutidas abertamente em uma rádio local, notoriamente alinhada com a oposição ao prefeito Ronaldo Lopes. Estas discussões incluíram detalhes do caso que, por prudência e integridade da investigação, não deveriam ter sido divulgados, sugerindo uma possível utilização do evento para fins políticos contrários à gestão atual.

A delegacia regional de Penedo, liderada pelo delegado Rômulo Andrade, e a equipe da assistência social de Penedo, sob comando da secretária municipal Ana Teresa, realizaram esforços gigantescos para garantir a segurança e o bem-estar dos trabalhadores. Contudo, a antecipação do resgate, embora tenha garantido a liberdade dos trabalhadores, prejudicou a coleta de provas necessárias para uma ação penal mais robusta contra os responsáveis.

O proprietário da fazenda Campo Reis agora responderá a acusações na esfera federal, mas em liberdade, dado que o flagrante necessário para uma detenção imediata foi impossibilitado pelas circunstâncias. Ações adicionais na Justiça do Trabalho também estão previstas, visando reparar os danos causados aos trabalhadores.

Veja o vídeo das declarações do delegado:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

Mais Comentadas

Veja Também