Skip to content

Codevasf encerra encontro em Porto Real do Colégio

  • Home
  • Alagoas
  • Codevasf encerra encontro em Porto Real do Colégio

Blog

Codevasf encerra encontro em Porto Real do Colégio

Avanços tecnológicos e científicos em recursos pesqueiros e aquicultura serão discutidos em Porto Real do Colégio
O Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Alagoas (CERAQUA) da 5ª Superintendência Regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) encerra hoje o II Encontro Técnico Científico. O evento reuniu no CERAQUA, situado no município de Porto Real do Colégio, professores, pesquisadores e técnicos da Codevasf, Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e EMBRAPA para apresentação e discussão de trabalhos científicos e tecnológicos realizados no centro dentro da proposta de revitalização de recursos pesqueiros da bacia do rio São Francisco e de desenvolvimento da aquicultura na região.
De acordo com Eduardo Motta, engenheiro de pesca da Codevasf em Alagoas e um dos organizadores do encontro junto com a professora Denise Maria Pinheiro da UFAL, o evento apresentou e discutiu o modelo de produção que está sendo adotado no CERAQUA e os resultados dos experimentos e pesquisas concluídas, em andamento e planejadas. “O que o grupo envolvido com atividades de pesquisa espera é o estabelecimento de diretrizes comuns e compartilhadas. Além disso, esse intercâmbio de experiências tecnológicas e científicas desenvolvidas no CERAQUA pelas três instituições, Codevasf, UFAL e EMBRAPA, permitirá a otimização dos recursos humanos e financeiros e evitará a sobreposição de ações”, definiu.
Além disso, Eduardo Motta ainda apontou que a reunião serviu para elaboração do plano de produção de alevinos, de pesquisa e de capacitação no CERAQUA para o biênio 2009/2010, realizado em conjunto pelas três instituições.
Na programação aconteceu a apresentação de trabalhos finalizados, em andamento de professores, pesquisadores e técnicos das três instituições. Entre os projetos finalizados estão Cultivo da Matrinxã em gaiolas, coordenado pelo professor do curso de engenharia de pesca da UFAL, Pólo Penedo, Emerson C. S. e Silva, e Infraestrutura e dados de produção de espécies de peixes trabalhadas no CERAQUA, coordenado pelos engenheiros de pesca da Codevasf Kley da Cunha Lustosa e Sérgio Antônio Medeiros Marinho e pelo assistente técnico Hildeberto Vieira Dantas.
Destacam-se entre os trabalhos em andamento Determinação de protocolo de criopreservação de sêmen de tambaqui, coordenado pelo pesquisador da EMBRAPA Tabuleiros Costeiros (SE) Paulo Carneiro, com financiamento da EMBRAPA/CNPq/Fapitec e Codevasf; e Avaliação dos diferentes níveis de proteonoso para Tilápia Gift, coordenado pela professora Edma Miranda do Instituto de Química e Biotecnologia da UFAL e pelo médico veterinário Matheus Campos Félix da Codevasf.
“Esse encontro ainda será restrito ao quadro do CERAQUA. No entanto, será preparativo para um evento voltado ao público externo, principalmente aos integrantes da cadeia produtiva da aquicultura”, declarou o engenheiro de pesca da Codevasf Eduardo Motta. Ele ainda acrescentou que a data do evento externo ainda está sendo definida, mas que será no final deste ano.
CENTRO TECNOLÓGICO
O CERAQUA é um centro tecnológico de ponta que está sendo implantado pela 5ª Superintendência Regional da Codevasf no Distrito Irrigado de Itiúba, em Porto Real do Colégio (AL). O centro teve sua origem no final da década de 1970 a partir da criação da Estação Piloto de Piscicultura de Itiúba (EPI), a primeira estação do programa de piscicultura da Codevasf construída no Vale do São Francisco.
Para sua operacionalização, o centro tecnológico terá gestão compartilhada, ao reunir parceiros como a Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Embrapa, Ministério da Aquicultura e Pesca e o Governo do Estado de Alagoas.
Álvaro Albuquerque, engenheiro de pesca da Codevasf que atua no CERAQUA, identifica que os avanços das atividades desenvolvidas no centro estão possibilitando sua consolidação no Brasil como referência tecnológica e científica nas áreas de recursos pesqueiros e aquicultura. “O interesse da comunidade científica e tecnológica pelo CERAQUA tem aumentado intensamente. Um exemplo disso foi que, no mês de junho deste ano, aconteceu o encontro nacional de genetisictas da EMBRABA em Aracaju. No entanto, a abertura do evento foi realizada no centro, em Porto Real do Colégio”, comemorou.
Ele ainda citou outras atividades que estão periodicamente sendo desenvolvidas por pesquisadores e demais interessados no CERAQUA, como a visita didática de estudantes dos cursos de engenharia de pesca da UFAL, que vieram participar de aula prática sobre a propagação artificial de peixes tropicais, e da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), para aula prática de análise de água de viveiros de produção de alevinos e de manutenção de reprodutores de peixes nativos. “Tudo isso consolida um grande centro que está crescendo e que é motivo de orgulho para a comunidade científica e tecnológica do nordeste e, em especial, de Alagoas”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

Mais Comentadas

Veja Também