Skip to content

Alagoas realiza a maior Conferência Estadual de CT&I de sua história

  • Home
  • Alagoas
  • Alagoas realiza a maior Conferência Estadual de CT&I de sua história

Blog

Alagoas realiza a maior Conferência Estadual de CT&I de sua história

A Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) realizou a Conferência Estadual de CT&I no Centro de Inovação do Polo Tecnológico do Jaraguá (Cipt), em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal) e outras 18 instituições, sob a supervisão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Desempenhando um papel mobilizador e consultivo entre a sociedade, instituições de ensino e pesquisa, órgãos de governo e empresários, cerca de mil pessoas participaram das atividades durante todo o dia, tornando-a uma das maiores conferências do país e a maior da história de Alagoas.

A mesa de abertura reuniu autoridades e Alexandre Apendino, vice-presidente da TOTVS — a maior empresa de tecnologia do Brasil —, para discutir o tema central “Ciência, Tecnologia e Inovação para um Brasil Justo, Sustentável e Desenvolvido”, seguindo os eixos estruturantes definidos pelo MCTI. As discussões abordaram temáticas de inclusão digital e social, os usos das novas tecnologias para o desenvolvimento e futuro da humanidade, o incremento de novas bases tecnológicas e inovação nas empresas, e a recuperação, expansão e consolidação do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação.

A Coordenadora Geral de Popularização da Ciência e Tecnologia do MCTI, Luana Meneguelli, celebrou o retorno da Conferência após 14 anos como um marco importante para ouvir todo o país. “Estamos aqui para entender o que a indústria, a academia, a gestão pública e a sociedade têm a dizer, a fim de movimentar todo o sistema de Ciência e Tecnologia e seus produtos, visando o desenvolvimento de um Brasil sustentável e soberano. Através desses debates, teremos contribuições estratégicas para subsidiar um plano nacional que nos permitirá colocar o Brasil num rumo que entendemos como fundamental, com espaços adequados para que cientistas e pesquisadores possam fazer inovação visando o desenvolvimento local, regional e nacional, melhorando a qualidade de vida da nossa população”, afirmou Luana.

O Diretor-presidente da Fapeal, Fábio Guedes, relembrou as diversas responsabilidades firmadas pelo Governo de Alagoas, com investimentos de mais de R$ 200 milhões em bolsas de iniciação científica, mestrado, doutorado, editais e eventos como este, que unem tantas mentes para discutir sobre CT&I. “O desafio no Brasil é muito grande, porque precisamos reconstruir um país que, de certa maneira, não deu a devida atenção à capacidade que temos de produzir riquezas sobre novas bases. E eu acho que temos a oportunidade agora de superar o atraso do país e voltar a ser competitivos. Para isso, é essencial mostrar, tanto como Estado quanto como região, que temos um enorme potencial para continuar desenvolvendo nossas pessoas, abrindo nossos negócios e fortalecendo nossas instituições”, disse Fábio.

O Secretário da Secti, Silvio Bulhões, comemorou o alto número de inscritos na Conferência e agradeceu a confiança e participação da sociedade, bem como o alinhamento entre Fapeal e Secti, destacado como o principal fator de tantas conquistas. “A integração entre instituições que suportam o setor da ciência e tecnologia em Alagoas, apoiando a academia e as empresas, é muito importante para nós. Especialmente neste momento, em que tudo discutido aqui tem o potencial de impactar positivamente no desenvolvimento de nossos próximos passos”, declarou Silvio.

Silvio reiterou a centralidade e a prioridade da pauta de CT&I para o Governo do Estado, citando a atualização da Lei Estadual de CT&I e a regulamentação do uso de IA pelo poder público como exemplos. “Aqui em Alagoas, isso vai muito além do discurso e se traduz em investimento prático, tornando-se o foco da gestão, seja na área da saúde, segurança pública, turismo ou atendimento à pessoa com deficiência. A participação de todos vocês nesta conferência é fruto disso”, assegurou Silvio.

Bulhões concluiu firmando um compromisso. “Em meu nome, no do Fábio e, mais ainda, no do Governador Paulo Dantas, comprometo-me que, ao final desta Conferência, compilados todos os relatórios e deliberações, trabalharemos arduamente, ao longo dos próximos três anos, para atender cada um dos itens discutidos aqui”, garantiu Silvio.

Foram realizadas seis oficinas simultâneas nas áreas de potencial científico de Alagoas – seus avanços, propostas e igualdade de gênero -, segurança jurídica para inovação, mecanismos de estímulo ao empreendedorismo alagoano, o desenvolvimento do estado pautado na CT&I como meio de captar, prospectar e reter talentos, tecnologias sociais e economia solidária em negócios de impacto, e meio ambiente, desenvolvimento sustentável e seguridade social.

Todas as oficinas contaram com quatro momentos: introdução do tema e contextualização; destaque de ações em curso em Alagoas, com dados relevantes; divisão de grupos para participação direta dos ouvintes em desafios, oportunidades e soluções; compartilhamento do produzido; e votação dos três principais tópicos elaborados pelos participantes.

A Professora Doutora Janaína Galdino, que ministrou a maior oficina da Conferência, “Desenvolvendo Alagoas: Sensibilização em Ciência, Tecnologia e Inovação, Capacitação e Prospecção de Estratégias para Reter Talentos”, destacou a qualidade do evento pelo engajamento dos participantes e da organização.

“O sucesso da conferência deve-se ao seu planejamento ágil e, ainda mais, à abertura das pessoas para receber e trabalhar na discussão entre professores, pesquisadores e alunos, de todas as idades, visando solucionar desafios e aproveitar oportunidades. É por meio desse processo que impactaremos significativamente o estado de Alagoas, debatendo e construindo sobre a popularização da ciência, da tecnologia e da inovação em busca do desenvolvimento sustentável”, apontou Janaína.

Luan Carvalho, estudante da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e participante da oficina de Sensibilização da Ciência, afirmou que as discussões ali proporcionadas foram fundamentais, seja para quem está ingressando no mercado de trabalho ou iniciando os estudos em programação, como no OxeTech (Programa da Secti). “Acredito que alguns temas são explorados de forma muito isolada, mas, neste caso, além de ter a oportunidade de dialogar com diferentes pessoas em variadas situações e sugerir soluções criativas, gerando demandas ao governo, foi uma grande chance de conscientização sobre a realidade cultural do mercado de trabalho do estado e das formas de capacitação da população”, disse Luan.

Presentes na Conferência Estadual de CT&I o Deputado Estadual por Alagoas e Presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia da Informação da Assembleia Legislativa, Dr. Wanderley; o Reitor da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), Henrique Costa; o Vice-reitor da Universidade Estadual de Alagoas, Anderson de Almeida Barros; a Secretária de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social, Kátia Born; e a Pró-reitora de Pós-graduação, Pesquisa e Inovação do Instituto Federal de Alagoas (Ifal), Eunice Pereira, dentre outros.

A 5ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação é o evento mais importante e democrático voltado ao debate das políticas públicas do setor. Realizado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o encontro acontecerá de 4 a 6 de junho, em Brasília (DF), com o tema “Ciência, Tecnologia e Inovação para um Brasil Justo, Sustentável e Desenvolvido”.

O evento é organizado pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), uma organização social supervisionada pelo MCTI, e conta com a articulação de mais de 40 instituições e oito ministérios.

A CNCTI, de caráter consultivo, volta a ser organizada depois de um hiato de 14 anos. Seu objetivo é discutir com a sociedade as necessidades na área de C&T e propor recomendações para a elaboração de uma nova Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI) que deverá ser seguida pelos próximos anos (2024-2030), substituindo a estratégia de 2016-2023, cujos programas, planos e resultados também serão analisados durante o evento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

Mais Comentadas

Veja Também