Roberto Lopes

Roberto Lopes

Formado em Letras, Jornalismo com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Advogado

Postado em 18/09/2017 08:10

Revitalização do rio São Francisco deve ser abraçada pelo Nordeste e Minas Gerais

Revitalização do rio São Francisco deve ser abraçada pelo Nordeste e Minas Gerais
Deputado Inácio Loiola propôs a carta de Penedo

O rio São Francisco é vital para a sobrevivência de milhares de famílias e o desenvolvimento autossustentável do Nordeste, porque suas águas, agora via a transposição, chegam mais longe saciando a sede da população e de animais e continuam a gerar energia para as residências e as indústrias. Essa realidade conhecida de todos impõe a participação dos estados da região e de Minas Gerais, também, no projeto da revitalização do Velho Chico, defendeu o deputado estadual Inácio Loiola (PSB), em viagem de barco ‘Na Rota dos 200 Anos’ promovida pelo Governo do Estado, de Piranhas a Penedo.

Inácio conversou e propôs ao governador Renan Filho no documento intitulado “A Carta de Penedo” a união do Nordeste na revitalização do projeto do rio São Francisco para pressionar o Governo Federal tirá-lo dos gabinetes de Brasília e começar a colocá-lo em prática. A viagem ‘Na Rota dos 200 Anos’ mostrou mais uma vez a sociedade brasileira o quadro agonizante do rio.

Ele explica a necessidade de incluir todos os estados nordestinos e mais Minas Gerais: Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte embora não sejam banhados pelo rio São Francisco, agora passam a receber as águas do rio via a transposição; Piauí e Maranhão não as recebem, entretanto, como os demais banhados – Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas -, tiram proveitos por meio de energia elétrica gerada nas usinas instaladas ao longo do Velho Chico assim como todo o Nordeste. E Minas Gerais por ser a região onde se localiza a nascente e o rio segue seu percurso ajudando a produção agrícola e abastecendo a população.

“Diante dessa realidade é fundamental a integração de todos nordestinos mais os mineiros nessa ampla corrente a favor do rio São Francisco e contra a privatização da Chesf. Entendemos que privatizar a Chesf é privatizar o rio, o que jamais queremos”, falou o deputado estadual.

Ele concluiu destacando a iniciativa do Governo do Estado em liderar a cruzada a favor do rio São Francisco em uma semana histórica para os alagoanos: a comemoração dos 200 anos da Emancipação Política do Estado de Alagoas neste sábado, 16 de setembro de 2017.
 

Comentários comentar agora ❯

Postado em 14/09/2017 14:21

Maternidades em Alagoas terão que realizar exame de oximetria de pulso

ALE
Maternidades em Alagoas terão que realizar exame de oximetria de pulso
Projeto é de autoria do deputado Gilvan Barros Filho

Atualmente, a cardiopatia congênita é detectada em alguns recém-nascidos somente após a alta hospitalar, o que resulta em morbidade significativa e ocasionalmente em morte. A oximetria de pulso é um exame indolor utilizado para medir o nível de oxigênio no sangue e deve ser realizado em recém-nascidos assintomáticos após 24 horas de vida. Sendo detectada alteração na oximetria, a investigação do problema cardiológico é então aprofundada já que o diagnóstico e o tratamento precoces são fundamentais para preservar a vida dos bebês que nascem com essa condição.

Neste sentido, a Assembleia Legislativa de Alagoas deverá votar nos próximos dias, projeto de lei, de autoria do deputado Gilvan Barros Filho (PSDB), que obriga a realização do exame de oximetria de pulso em todos os recém-nascidos ainda nos berçários das maternidades de todo o Estado. De acordo com a proposta, o exame deverá ser realizado nos membros superiores e inferiores dos recém-nascidos ainda no berçário e após as primeiras 24 horas de vida da criança e antes da ata hospitalar.

“A realização dos exames de detecção de doenças cardiológicas tanto na fase intra-uterina quanto nos recém-nascidos, é uma reivindicação de muitos profissionais da área de saúde, que há tempos vem alertando para a necessidade do ‘Teste do Coraçãozinho’, a fim de minimizar os riscos de defeitos congênitos mais letais decorrentes da ausência de diagnóstico preventivo’, destacou Gilvan barros Filho
 

Comentários comentar agora ❯

Postado em 05/09/2017 14:11

Assembeia Legislativa de Alagoas cria a Semana Estadual do Artesanato

ALE
Assembeia Legislativa de Alagoas cria a Semana Estadual do Artesanato
A deputada Jó Pereira é a autora do projeto de lei

A Assembleia Legislativa de Alagoas aprovou, por unanimidade, projeto de lei, de autoria da deputada Jó Pereira (PMDB) que institui a Semana Estadual do Artesanato e cria o Dia Estadual do Artesão. A proposta, antes de ter sido votada no plenário, recebeu parecer favorável da Comissão de Constituição e Justiça da Casa

De acordo com o projeto, a Semana Estadual do Artesanato será celebrada anualmente no período de 16 a 26 de março e incluída no calendário oficial de eventos do Estado. Já o Dia Estadual do Artesão será comemorado no dia 19 de março e também será incluído no calendário oficial de eventos de Alagoas.

Na semana Estadual do Artesanato serão desenvolvidas atividades de promoção e valorização do artesanato enquanto manifestação da cultura popular. “Essa iniciativa beneficiará todas as famílias que sobrevivem do artesanato, aqui no Estado de Alagoas”, pontuou Jó Pereira.

Ainda segundo a deputada, no Brasil a diversidade do artesanato é tão grande quanto os povos que aqui vivem. “Destacamos as artes cerâmicas, bonecos de barro, entalhes de madeira, cestos e trançados. O artesanato indígena e atualmente surgiu o artesanato sustentável”, destacou Jó Pereira.

Comentários comentar agora ❯

Postado em 31/08/2017 11:53

Aprovado o uso de arma de choque contra adolescente infrator internado

Jaelson Lucas/Prefeitura de Curitiba
Aprovado o uso de arma de choque contra adolescente infrator internado
As pistolas de eletrochoque só poderão ser utilizadas em casos específicos


A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei, de autoria do deputado Cajar Nardes (PR-RS), que autoriza o uso de armas de eletrochoque e de fogo em situações específicas por agentes socioeducadores. De acordo com a proposta, para efeito de proteção dos internos, dos funcionários e de terceiros, é lícita a utilização de arma de incapacitação neuromuscular (eletrochoque) pelo agente público executor de medida socioeducativa nas seguintes hipóteses:

I - interno não-cooperativo, desarmado, que não puder ser imobilizado manualmente ou por meio mecânico de contenção, mas tiver que ser contido em razão de:

a) apreensão, captura, detenção ou custódia, se sua conduta ou reação puser em risco a integridade física de eventual vítima sob seu domínio, de terceiro não envolvido, do agente ou de si próprio;

b) descontrole emocional, se sua conduta ou reação puser em risco a integridade física própria, do agente ou de terceiro; ou

c) tentativa de suicídio, desde que o uso do equipamento não coloque em risco sua integridade física, do agente ou de terceiro e não haja outra forma de impedi-la;

II – interno não-cooperativo, portando arma branca, se não for conveniente seu desarme por outra forma sem colocar em risco a integridade física de eventual vítima sob seu domínio, de terceiro não envolvido, do agente ou de si próprio;

III – condução de interno perigoso, como preventivo de fuga ou resgate, hipótese em que a arma deve estar ligada por cabos próprios às vestes do interno; ou

IV – interno não-cooperativo, portando arma de fogo.

De acordo com o autor do projeto, um dos segmentos que trabalham no âmbito da segurança pública, desprotegido, é o de agentes públicos executores de medida socioeducativa, também chamado agentes socioeducadores, responsáveis pela execução de medidas socioeducativas de infratores adolescentes. “Em muitas ocasiões, tratando com adolescentes mais perigosos que certos delinquentes adultos, referidos profissionais ficam refém da proibição de uso de armas que os protejam e às demais pessoas que convivem nos estabelecimentos de internação”, justificou Cajar Nardes

O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será examinado ainda pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados.
 

Comentários comentar agora ❯

Postado em 29/08/2017 15:14

Deputados criam o Colégio de Presidentes das Assembleias Legislativas do Nordeste

Deputados criam o Colégio de Presidentes das Assembleias Legislativas do Nordeste
Reunião aconteceu na sede da Assembleia Legislativa do Ceará

Com objetivo de fortalecer a região, os deputados estaduais resolveram criar o Colégio de Presidentes das Assembleias Legislativas do Nordeste. A ideia foi colocada em prática durante o encontro de presidentes das Assembleias Legislativas do Nordeste, ocorrido na cidade de Fortaleza.

O recém Colégio tem como objetivo discutir os assuntos pertinentes aos interesses do Nordeste, fortalecer o Parlamento da região e seus projetos. Além disso, será um importante instrumento político de defesa da população nordestina.

O primeiro presidente do Colégio será o deputado Themístocles Filho (PMDB-PI). “Estamos iniciando essa troca de experiências entre assembleias. Nós temos que conversar com os nossos senadores, é importante a união, a junção dos 27 senadores para defender um tema do Nordeste”, destacou em entrevista a TV Assembleia do Ceará.

O vice-presidente da Assembleia Legislativa de Alagoas, deputado Francisco Tenório (PMN), que representou o parlamento estadual no evento, informou que o Colégio foi criado com o objetivo de debater a atuação e a importância do Poder Legislativo. “Temos agora, um novo instrumento de defesa da democracia e da população nordestina, além de defender ações conjuntas para todo o Nordeste brasileiro”, destacou.

Na próxima reunião, que será convocada por Themístocles Filho, serão eleitos o vice-presidente e secretários, assim como discutida a periodicidade dos encontros entre os presidentes das casas legislativas no Colégio.

Neste primeiro encontro, também foi debatido o fortalecimento e cooperação entre os parlamentos estaduais da região. Na ocasião foi redigida uma carta em que mostra a diretrizes, além da integração, modernização, fortalecimento e engrandecimento das Assembleias que fazem parte da região Nordeste.


 

Comentários comentar agora ❯

Postado em 26/08/2017 12:54

Agências bancárias em Alagoas terão que ter vigilância armada 24 horas

ALE
Agências bancárias em Alagoas terão que ter vigilância armada 24 horas
Deputado Francisco Tenório é o autor do projeto

Tramita na Assembleia Legislativa de Alagoas projeto de lei, de autoria do deputado Francisco Tenório (PMN) que dispõe sobre a contratação de vigilância armada 24 horas, inclusive nos finais de semana, nas agências bancárias públicas e privadas e nas cooperativas de crédito do Estado de Alagoas. A proposição foi lida no plenário da Casa e encaminhada as Comissões de Constituição e Justiça e de Administração para emissão de pareceres.

Pelo projeto, os vigilantes deverão permanecer no interior da instituição bancária, em local seguro, para que possam se proteger em função de sinistro num período de 24 horas, de posso do botão de pânico e terminal telefônico para possível acionamento rápido policial.

Além do botão de pânico que deverá bipar na sala de operação da Polícia Militar do Estado de Alagoas, o vigilante deverá dispor de um dispositivo para acionar sirene de alto volume no lado externo das agencias bancárias, chamando a atenção de transeuntes e buscando afastar os delinquentes. O descumprimento desta lei acarretará ao estabelecimento infrator uma multa diária no valor de R$ 5 mil, com aplicação em dobro no caso de reincidência.

“Faz-se necessário o estabelecimento de uma política de normas e rotinas de segurança, que valorize a vida acima de tudo e preconize a execução dos demais serviços de maneira segura e responsável, respeitando e preservando a integridade física das pessoas, a continuidade operacional e o patrimônio”, disse Francisco Tenório.

O deputado disse ainda, a segurança dos caixas, que é feita com câmaras e alarmes, se revela muito frágil porque os mesmos são danificados. “A fragilidade do sistema de segurança bancária, especialmente no que diz respeito a preservação da vida e da saúde, expõe os bancários, seus familiares, clientes e transeuntes das proximidades, a risco de morte, traumas, marcas e sequelas, que poderão refletir no futuramente sobre a saúde física e mental de quem se torna vítima da violência”, destacou Francisco Tenório.
 

Comentários comentar agora ❯

  • Carlos Roberto Silveira SE por um lado é de se louvar a atitude do parlamentar, em fazer esta lei , por outro lado, se nota que nem a Policia Federal cumpri sua obrigação , pois veja os artigos 1 a 3 da lei 7102/83 , la esta dito que onde houver GUARDA ou MOVIMENTACAO DE NUMERARIO DEVE TER segurança, isto se faz quando os bancos apresenta anualmente a PF o plano de segurança, o pior é saber que quando não tem o segurança e o banco é assaltado ou roubado este valor vai PRA RUBRICA dinheiro não recebido , quem paga? advinha o cliente , pois fica nos custos do banco ai meu cara dançamos
  • EMANNO NÃO VOU DIZER QUE ELE ESTA ERRADO NÃO, MAS TUDO É JOGO DE INTERESSE, PRINCIPALMENTE PRA QUEM TEM EMPRESA DE SEGURANÇA (VITAL SEGURANÇA) COMO ESSE DEPUTADO QUE PRESTA SERVIÇO AO GOVERNO.
Postado em 23/08/2017 14:23

Assembleia Legislativa de Alagoas aprova Semana Estadual da Terceira Idade

ALE
Assembleia Legislativa de Alagoas aprova Semana Estadual da Terceira Idade
Deputada Thaise Guedes é a autora do projeto

A Assembleia Legislativa aprovou, por unanimidade, projeto de lei, de autoria da deputada Thaise Guedes (PMDB) que institui, a Semana Estadual da Terceira Idade, a ser comemorada, anualmente, em todo território alagoano, na primeira semana de outubro, período em que compreende o Dia Nacional da Terceira Idade, comemorado em 1º de outubro.

A semana deverá ser comemorada com a realização de campanhas educativas; eventos festivos; palestras promovidas por instituições públicas e privadas, por órgãos ligados às secretarias de Saúde, Assistência Social, Educação, Turismo e Agricultura e os seus respectivos conselhos, além de terceiro setor e da iniciativa privada.

A coordenação irá caber a um conselho criado composto por membros indicados por representações sociais, seguindo os mesmos moldes utilizados na formação dos conselhos estaduais e municipais de saúde e segurança pública, por exemplo.

De acordo com a autora do projeto, a Semana Estadual da Terceira Idade, por si só, promoverá um encontro de gerações que servirá como via de mão dupla, na qual crianças e adultos poderão solidarizar-se deixando bons frutos. “Os adultos compartilhariam suas vidas outra vez, amparados pelo respeito mútuo e preocupados na construção de um mundo melhor”, disse Thaise Guedes.
 

Comentários comentar agora ❯

Postado em 18/08/2017 18:30

Assembleia Legislativa de Alagoas aprova Semana Estadual da Saúde do Homem

ALE
Assembleia Legislativa de Alagoas aprova Semana Estadual da Saúde do Homem
Deputado Davi Davino Filho é o autor do projeto

Existem evidencias inquestionáveis de que os homens se preocupam menos com suas condições de saúde do que as mulheres. Além da questão cultural, que equivocadamente se refere ao homem como um organismo refratário às doenças, a falta de campanhas de divulgação também contribui para a baixa procura destes, pelos programas de saúde da família.

Neste sentido, a Assembleia Legislativa de Alagoas, aprovou, por unanimidade, projeto de lei, de autoria do deputado Davi Davino Filho que cria no Estado, a Semana Estadual da Saúde do Homem que será comemorada todos os anos entre os dias 7 e 13 de novembro.

Durante Semana da Saúde do Homem, A Assembleia Legislativa de Alagoas vinculará nos meios de comunicação, sob sua gerência direta, campanhas educativas com objetivo de chamar atenção da população masculina, entidades de saúde, instituições de ensino e a população em geral, para dispensar maiores cuidados com a saúde do homem.

“O Poder Público como organismo responsável pela saúde da população e reconhecendo a prevenção como forma mais eficiente de promoção da saúde, tem o dever de propagar a importância da prevenção da saúde do homem em todos os níveis”, afirmou Davi Davino Filho informando que durante a Semana da Saúde do Homem um calendário de palestras e debates.
 

Comentários comentar agora ❯

Postado em 15/08/2017 14:00

Aprovado desconto de 50% para idosos na renovação da Carteira de Habilitação

Agência Câmara
Aprovado desconto de 50% para idosos na renovação da Carteira de Habilitação
A deputada Creuza Pereira é relatora do projeto

A Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003, conhecida como Estatuto do Idoso, veio regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 anos e representou uma enorme conquista para esse segmento social. Entre os direitos ali tratados, estão o direito à vida, à saúde, à previdência e assistência social, à habitação e ao transporte. Nesse último caso, o Estatuto do Idoso prevê a possibilidade de os idosos de baixa renda gozarem de transporte urbano, semiurbano e interestadual gratuito, entre outras medidas. Entretanto, muitos idosos possuem seus próprios veículos e são condutores habilitados.

Neste sentido, a Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei, de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), que concede aos idosos, desconto de 50% nas taxas devidas no processo de renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A matéria relatada pela deputada Creuza Pereira (PSB-PE), acrescenta parágrafo 6º ao artigo 147 da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Atualmente, o código estabelece que pessoas com mais de 65 anos devem renovar a habilitação a cada três anos, após passar por exames clínicos. “A regra vigente representa, pois, um ônus excessivo para a grande parte dos idosos, cujos proventos de aposentadoria não são, via de regra, sequer suficientes para cobrir seus gastos cotidianos. Sem poder arcar com o ônus da renovação da CNH, resta-lhes duas alternativas: dirigir com a habilitação vencida, o que pode resultar em multas pesadas, ou deixar de exercer o direito de dirigir seu próprio veículo, o que é uma afronta às garantias estabelecidas pelo Estatuto do Idoso”, afirma Valdir Colatto.

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado agora pelas comissões de Viação e Transportes; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados.
 

Comentários comentar agora ❯

Postado em 10/08/2017 15:01

Maternidades de Alagoas terão que ter treinamento para prevenção de morte súbita de bebês

ALE/AL
Maternidades de Alagoas terão que ter treinamento para prevenção de morte súbita de bebês
Deputado Inácio Loiola é o autor do projeto

Tramita na Assembleia Legislativa de Alagoas, projeto de lei, de autoria do deputado Inácio Loiola (PSB), que determina que as maternidades públicas e privadas no Estado de Alagoas garantam o treinamento para socorro em caso de engasgamento e prevenção de morte súbita, destinados aos pais ou responsáveis por recém-nascidos e dá outras providencias.

Pela proposta, os hospitais deverão afixar cartazes em locais visíveis de suas dependências, com caracteres em negrito, contendo a informação de que o referido estabelecimento de saúde garante treinamento para socorro em caso de engasgamento e prevenção de morte súbita, destinados aos pais ou responsáveis pelos recém-nascidos.

O descumprimento desta lei sujeitará ao infrator, quando pessoa jurídica de direito privado, às seguintes penalidades: advertência, quando da primeira autuação da infração; e multa, quando da segunda autuação que será fixada entre R$ 1.000,00 até R$ 10.000,00 a depender do porte do estabelecimento e das circunstâncias da infração tendo seu valor atualizado pelo Índice de Preço ao Consumidor (IPC).

A matéria foi lida na hora do expediente e encaminhada à Comissão de Constituição e Justiça para emissão de parecer técnico. “O engasgo pode ocorrer por várias motivações e é um dos principais vilões dos recém-nascidos e assusta pais e responsáveis. Já a morte súbita acontece durante o sono de bebês aparentemente saudáveis. Sabe-se que o pico de incidência é entre dois e quatro meses de idade. Portanto, a presente preposição visa diminuir o número destes casos’, destacou Inácio Loiola.
 

Comentários comentar agora ❯