17 Maio 2021 - 18:56

Famílias recebem mais de 20 toneladas de alimentos do PAA Estadual

Uma grande mobilização de colheita e entrega de distribuição de alimentos para doação aconteceu na última semana. Agricultores familiares, participantes do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do Governo de Sergipe de Itabaianinha, Japaratuba, Moita Bonita e Umbaúba entregaram 22,5 toneladas de alimentos para pessoas em situação de insegurança alimentar da Barra dos Coqueiros, Riachão do Dantas, Tobias Barreto e Umbaúba. O PAA Estadual, gerido pela Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (Seias), em breve lançará uma nova chamada pública, para selecionar mais agricultores fornecedores e entidades socioassistenciais receptoras. Na que está em andamento, é esperada a entrega, até o final de novembro, de cerca de 500 toneladas de alimentos por 186 agricultores de todo o estado, que serão doados a 22 instituições que atendem 3.500 pessoas em vulnerabilidade social.

Zuleide da Silva, usuária do Centro de Referência da Mulher (CRM) da Barra dos Coqueiros, afirma que é importante ofertar uma alimentação saudável para seus três filhos e para o sobrinho, mas como está faltando muita coisa em casa, a cesta de alimentos do PAA Estadual vem para ajudar. “Hoje estou recebendo uma cesta, graças a Deus, e estou feliz. É maravilhoso, as meninas do Centro vêm ajudando a gente nessa pandemia, em que estamos aí para enfrentar”, relata. Também beneficiária do Centro, Vanusa Pereira mora com cinco filhos e cinco netos. Ela acredita que a alimentação em sua casa, a partir da doação, vai ser bem melhor. “A gente só come pão e cuscuz e as raízes estão vindo agora de bom grado. E para os meus netos, então, que gostam muito de macaxeira e de batata, é uma bênção. A importância é muita, porque as vezes a gente nem tem o dinheiro para comprar alimento”, conta.

Emily Regina, secretária Municipal de Assistência Social de Barra dos Coqueiros (SMAS), conta que é grande a satisfação de receber os alimentos do PAA Estadual no município. “É muito importante esse reforço, como mais uma atividade de segurança alimentar e nutricional. Para as famílias que são acompanhadas pelo CRM e pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) estão sendo entregues, em dois grupos, as cestas de alimentos da Agricultura Familiar”, detalha. Fernanda Barreto é técnica de referência do SCFV e explica que a distribuição dos alimentos é feita para a relação de público prioritário. “São crianças e adolescentes em vivência de violência e negligência, defasagem escolar, que saíram da situação de acolhimento. Em cima dessa relação, nós entramos em contato com as famílias, para agendar o horário da distribuição”, relata Fernanda.

Além desta primeira etapa do PAA, que está em execução, a Seias pretende lançar mais duas chamadas públicas ainda este mês. O investimento será de R$ 1,9 milhões, em parceria com o Ministério da Cidadania, em atenção à crise social provocada pela pandemia. “Nessa entrega, foram três municípios fornecedores e cada município ficou responsável por recolher seus alimentos. A Seias fez a articulação entre a unidade fornecedora, que são os agricultores; e as unidades recebedoras, que no caso da Barra dos Coqueiros, foram o Fundo Municipal de Assistência Social e o Centro Comunitário Sociocultural”, relata a nutricionista Tatiana Canuto, técnica da coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional da Seias.

Tatiana explica, ainda, que a inscrição dos agricultores e das entidades ocorreu através das duas primeiras chamadas públicas, uma para agricultores, outra para entidades recebedoras, realizadas no final 2020. “A gente organiza de acordo com a safra e com as demandas, do número de usuários que são atendidos naquela instituição. Os cálculos são feitos de acordo com a per capita e aí são divididos os alimentos por instituição. Na entrega dos alimentos é gerado um termo de doação via Sistema de Informação do Programa de Aquisição de Alimentos – Sispaa, em que a entidade recebedora vai assinar por estar recebendo e os agricultores vão gerar uma nota fiscal, que vai ser atestada pela Seias e inserida no mesmo sistema, e o pagamento é efetuado pelo Ministério da Cidadania na conta do agricultor, com o cartão”, conclui.

por Agência Brasil

Comentários comentar agora ❯