11 Dezembro 2010 - 17:30

Padilha nega ter assinado documento para aprovar convênio no Ministério do Turismo

Divulgação
Ministro de Relações Institucionais, Alexande Padilha

O ministro de Relações Institucionais, Alexande Padilha, negou que tenha assinado um documento enviado ao Ministério do Turismo, atestando a idoneidade de uma entidade, para aprovar a liberação pela pasta de R$ 3,1 milhões. Ele afirmou que há indícios de montagem na declaração e que pediu à Polícia Federal que investigue o caso.

Segundo Padilha, a declaração tem sinais claros de fraude já que não segue os padrões dos ofícios da Secretaria de Relações Institucionais. O documento está com endereço e telefone da secretaria incorretos, o número do documento de identidade de Padilha está incompleto e o número do registro da entidade é inválido.

Ele afirma também que não há registro nem de entrega nem de saída do documento no gabinete da secretaria e que sua assinatura foi escaneada.

“Sempre defendi nesse governo que se adotasse a prática orientada pelo presidente da República: que se apure até ao fim qualquer denúncia. Sou o principal interessado neste momento em saber quem usou uma assinatura minha escaneada”.

Padilha contou ter pedido ao ministro da Justiça que a Polícia Federal investigue o fato e também formou uma comissão de sindicância interna na secretaria para apurar a ocorrência. Padilha ainda enviou ofício ao ministro do Turismo e foi informado de que já foi iniciado lá um processo de apuração.

Reportagem publicada no jornal O Estado de S. Paulo afirma que um documento com a assinatura do ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, foi usado para aprovar convênios de R$ 3,1 milhões em favor de entidade fantasma no Ministério do Turismo. O papel seria é uma declaração que atesta o funcionamento da entidade que existiria apenas no papel.

 

por Agência Brasil

Comentários comentar agora ❯