02 Agosto 2021 - 19:32

Maceió ganhará primeiro posto de coleta de leite materno da capital

Gabriel Moreira/Secom Maceió
O local escolhido é o Centro de Saúde Hamilton Falcão

Como parte da campanha Agosto Dourado, no dia 23 de agosto, Maceió ganhará o primeiro posto de coleta de leite materno da capital. O local escolhido é o Centro de Saúde Hamilton Falcão, no Benedito Bentes. Para isso, entre os dias 5 e 31 de agosto, os três shoppings terão pontos de arrecadação de frascos para doação de leite materno ao banco de leite humano. Os recipientes devem ser de vidro com tampa plástica e, ao fim, serão encaminhados para o Centro de Saúde.

Antes, no dia 17, os profissionais do Centro de Saúde passarão por um “Curso de segurança alimentar no manuseio do leite humano”, uma parceria da Prefeitura com o banco de leite do Hospital Universitário e executado pela Coordenação de Saúde da Criança e demais programas estratégicos.

“Por motivos variados, nem todas as mulheres conseguem amamentar seus filhos. Por isso, a campanha também fortalece um comportamento solidário entre as mães, convidando-as para a doação do leite e colocando à disposição o posto de coleta na parte alta da capital”, disse a secretária da Mulher da capital, Ana Paula Mendes.

O leite materno

A cor dourada faz alusão ao fato de o leite materno constituir padrão ouro de alimentação para crianças, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Rico em proteínas, vitaminas, anticorpos, gorduras e água, o leite materno é conhecido como a “primeira vacina da criança”, sendo essencial para o seu bom desenvolvimento.

O Ministério da Saúde recomenda a amamentação até os dois anos de idade ou mais com aleitamento exclusivo nos primeiros 6 meses.

A prática melhora as condições psicomotoras dos bebês e proporciona diversos benefícios para a mãe, como a proteção contra a osteoporose, diabetes e os cânceres de mama e útero; além de acelerar a recuperação do tamanho normal do útero, entre outros. O aleitamento materno traz benefícios fisiológicos, psicológicos, e socioeconômicos e culturais para a mãe e o bebê. 

por Assessoria

Comentários comentar agora ❯