16 Agosto 2011 - 08:14

Governo de Alagoas assina contrato para construção do Complexo Cultural Teatro Deodoro

Divulgação
Perspectiva do Complexo Culural que será construído ao lado do Teatro Deodoro

Foi assinado na manhã desta segunda (15) o contrato entre o Governo do Estado, por meio da Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas (Diteal) e a empresa Cony Engenharia LTDA para a primeira etapa da construção do Complexo Cultural Teatro Deodoro. Anexo ao teatro, o local receberá espaços para uma orquestra, um corpo de bailarinos e uma escola de cenotécnica, além do setor administrativo.

O ato de assinatura do contrato foi realizado na sede da Comissão Permanente de Licitação (CPL/AL) e contou com as presenças do preside da CPL/AL da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra), Ângelo Bezerra; do presidente do Serviço de Engenharia do Estado de Alagoas (Serveal),Ronaldo Patriota, órgão que fiscalizará o andamento da obra; do diretor-presidente da Diteal, Juarez Gomes de Barros e do representante da Construtora Cony Engenharia, Jean Sandro. Além da arquiteta da Diteal, Marta Nogueira, do coordenador jurídico e diretor administrativo do órgão, Mário Leahy e José Viana, respectivamente.

“Esse complexo nos possibilitará produzir espetáculos e não só recebê-los, pois formaremos mão-de-obra especializada. É isto que o governador Teotônio Vilela Filho está nos proporcionando”, concluiu Juarez Gomes de Barros .

Esta etapa da obra tem previsão de durar quatro meses e a obra toda deverá ter a duração de um ano.O projeto de construção do complexo cultural tem recursos do Ministério da Cultura com contrapartida do Governo de Alagoas.

O Complexo será construído no terreno vizinho ao Teatro Deodoro, onde antes funcionava um estacionamento, na Travessa Dias Cabral. A área foi cedida por meio de termo de cessão, pela Prefeitura de Maceió, em favor do Estado, em agosto do ano passado. A rua deve ser interditada para a realização das obras nos próximos dias.

O Complexo Cultural

O complexo abrigará espaços estratégicos para acomodar os Corpos permanentes da Orquestra de Câmara (41 músicos), de Baile (12 bailarinos) e da Cia. de Teatro (6 atores); cursos/oficinas de Artes, dentre outras ações de expressão artística e de qualificação profissional para a área de cultura; a Galeria de Arte Miguel Torres e acervos, além das instalações do quadro funcional técnico e administrativo da Diteal, com o firme propósito de impulsionar a cultura das artes e ampliar a democratização do consumo e da produção artístico-cultural para a comunidade alagoana, principalmente a de maior vulnerabilidade socioeconômica.

A criação desses espaços impulsionará o cenário artístico local, colaborando com toda a cadeia produtiva do mercado cultural em Alagoas. O apelo maior desse empreendimento é incentivar o estudo, a pesquisa e a formação continuada de jovens talentos, além de possibilitar a cultura das artes, ampliando o acesso e o consumo às criações culturais pela população alagoana, especificamente a de menor poder aquisitivo.

Além do aprimoramento profissional, os corpos permanentes do Teatro Deodoro/Estado de Alagoas (músicos, bailarinos e atores) atuarão como multiplicadores, ultrapassando os muros da instituição, indo às parcerias, interagindo via realização de cursos livres, apresentações artísticas e incentivando as produções culturais em escolas e associações.

O projeto também prevê a realização de cursos/oficinas de Cenotécnica, Cenografia, Iluminação, Sonorização, Figurinos e Adereços, dentre outros, visando a solidificação do mercado cultural local, a partir da qualificação de profissionais para integrar a cadeia produtiva local. Hoje o Teatro Deodoro já precisa de profissionais para trabalhar na área técnica, já que vários técnicos estão para se aposentar e há dificuldade de encontrar mão de obra qualificada para substituí-los.

O Complexo Cultural Teatro Deodoro também viabiliza a instalação da Galeria de Artes Miguel Torres, ampliando o espaço para as exposições artísticas, nas suas mais diversas linguagens, bem como acervos de artes plásticas e partituras, dentre outros, conforme a trajetória produtiva dos corpos permanentes.

por Agência Alagoas

Comentários comentar agora ❯