15 Agosto 2011 - 19:04

Embratur suspende assinatura de novos convênios

Responsável por executar a Política Nacional de Turismo e promover o país como destino turístico entre os estrangeiros, o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) suspendeu por 45 dias a assinatura de novos convênios com entidades sem fins lucrativos e a transferência de recursos previstos em contratos já assinados.

A decisão foi anunciada hoje (15), por meio de portaria publicada no Diário Oficial da União, e segue a resolução já adotada pelo Ministério do Turismo, ao qual o instituto é vinculado. No último dia 10, o ministério também suspendeu, pelo mesmo período, a assinatura de novos convênios.

Assinada pelo presidente do instituto, Flávio Dino de Castro e Costa, a portaria também estabelece que as diretorias do órgão realizem um levantamento dos convênios e semelhantes instrumentos legais pendentes de prestação de contas, priorizando suas análises e informando quinzenalmente as análises procedidas e providências adotadas. Também será realizada uma auditoria interna.

As resoluções são uma resposta à Operação Voucher, deflagrada no último dia 9 para apurar um suposto esquema de desvio de recursos públicos destinados à cursos de qualificação profissional. No caso do Embratur, a resolução tem, de acordo com sua assessoria, caráter preventivo, já que nenhuma entidade ou empresa até agora mencionada no inquérito da Polícia Federal tem convênio com a autarquia. O instituto ainda está fazendo o levantamento dos pagamentos e do total de recursos que ficarão retidos pelos próximos 45 dias.

Originadas a partir de auditorias do Tribunal de Contas da União (TCU), as investigações preliminares constataram irregularidades na execução de um convênio de R$ 4,4 milhões entre o Ministério do Turismo e o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi). A PF estima que ao menos dois terços dos recursos foram desviados pelo esquema de corrupção. Trinta e seis pessoas, entre servidores do ministério, empresários e diretores do Ibrasi, foram presos.

por Agência Brasil

Comentários comentar agora ❯

  • Marco Antonio cCarvalho Diniz ÂNIO SILVA À um amigo onisciente. - ” Cara essa minha desacreditada mente amalgamática pensa cada uma… “. Agora que entendi “a de Lula” para varrer a corrupção no Brasil. - É o seguinte: ele percebeu que pra ser Presidente teria que ceder “o que cedeu”. Isso aceitando e penetrando no porão da corrupção. Sendo chamado, até, de corrupto. Sendo que o ex-metalúrgico não poderia lapidar o Poder, pois iria desmilinguir-se . Precisava de alguém pra isso; e “esse alguém” foi DILMA. Pra tanto: ele calculou um seguro governo de 16 anos. (…) – Por quê Lula não poderia realizar a faxina? - Ora! Porque precisava, também, dos futuros decapitados para eleger sua algoz (dos sem-cabeças). - COMECEI A VISUALIZAR ISSO! - Desta vez não “tem essa” de governabilidade. QUEM ELEGEU DILMA FOI LULA; SOZINHO MESMO! – O que credencia o ex-presidente a tirar do jogo a quem desejar ; através de sua JEANNIE. Muito bem calculado; PARABPENS LULA!!!! Marco Antonio Carvalho Diniz
  • Marco Antonio Carvalho Diniz “Creio que a documentada da EMBRATUR está em boas mãos; estando na palma do ex-juiz Flávio Dino,” Marco Antonio carvaçho Diniz