28 Agosto 2009 - 15:08

Arapiraca recebe Mutirão da Cidadania

Caio Loureiro
Reconhecimento de paternidade foi uma das ações promovidas pelo mutirão

A cidade de Arapiraca recebeu, nesta sexta-feira (28), o Mutirão da Cidadania, uma promoção da Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal). Arapiraca é a sétima cidade a sediar o evento, restando apenas a edição de Palmeira dos Índios, que será realizada no dia 11 de setembro. Além da população de Arapiraca, também as cidades de Campo Alegre, Feira Grande, Girau do Ponciano, Limoeiro de Anadia, São Sebastião, Teotônio Vilela, Traipu e Taquarana foram beneficiadas com a realização do mutirão.

O evento envolveu atividades destinadas aos servidores do Judiciário, com palestra sobre o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, à comunidade escolar, com palestras do programa Cidadania e Justiça na Escola, e à população agreste como um todo, com coleta de sangue para exames de DNA.

Os exames para reconhecimento de paternidade são realizados através de um convênio entre o Poder Judiciário alagoano e a Universidade Federal de Alagoas (Ufal). “Fizemos cerca de 180 coletas de material genético para o exame de DNA, beneficiando aproximadamente 600 pessoas com o reconhecimento de paternidade”, explicou o professor Luiz Antônio Ferreira da Silva, chefe do Laboratório de DNA Forense da Ufal.

Os alunos da Escola Nossa Senhora do Bom Conselho receberam a juíza Isabelle Coutinho Dantas, que ministrou uma palestra sobre drogas, abordando também temas como abuso sexual e violência doméstica, ajudando a construir a formação dos jovens e adolescentes daquela cidade.

“O Mutirão da Cidadania é o acesso à Justiça, e é isso que o Judiciário alagoano está promovendo para a população. Nós não podemos falar em cidadania sem promover essa oportunidade”, disse a juíza Fátima Pirauá, coordenadora de Projetos Especiais da Esmal.

Em 11 de setembro, Palmeira dos Índios receberá a última etapa do Mutirão da Esmal, encerrando o calendário de mutirões proposto para 2009. Além de Palmeira dos Índios, a população das cidades circunvizinhas de Igaçi, Marimbondo, Quebrangulo e Anadia também será atendida
 

por Tribunal de Justiça

Comentários comentar agora ❯