24 Agosto 2009 - 22:40

Trabalhadores do Correios protestam contra sobrecarga nesta terça-feira

Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos (Correios) realizam na manhã desta terça-feira, 25, a partir das 8h, em frente ao Centro de Distribuição Domiciliar do Barro Duro, um ato público em protesto contra sobrecarga de trabalho nos centros de distribuição domiciliar de Maceió.

Dados fornecidos pelo Sindicato dos Trabalhadores na Empresa de Correios e Telégrafos em Alagoas (Sintect/AL), dão conta que atualmente existem 500 carteiros em atividade em Alagoas, 300 na capital e 200 no interior e que seria necessária a contratação em caráter de emergência de pelo menos mais 100 carteiros para minimizar a sobrecarga e atender ao crescimento da demanda dos serviços postais, ampliada pela empresa em torno de 70%.

A falta de carteiros está gerando inúmeros transtornos aos usuários de Correios, os quais estão recebendo suas correspondências em atraso, ou não estão tendo entrega domiciliar em seus bairros, como também a falta de Atendentes Comerciais e de segurança nas Agências demonstra claramente o desrespeito da Direção dos Correios com seus clientes e funcionários. Em todo o Estado a realidade é a mesma, são encomendas, cartas e boletos bancários sendo entregue fora de prazo, obrigando clientes a irem aos Centros de Distribuição a procura de suas correspondências ou enfrentarem longas filas nas Agências para postar suas correspondências, receberem seus salários, benefícios e aposentadorias.

“Não se justifica tanta negligência com os usuários de Correios, somos uma das empresas públicas mais lucrativas do país, obtivemos em 2008 um faturamento de R$ 11,5 bilhões, repassamos R$ 2,5 bilhões ao Governo Federal e dispomos de R$ 4 bilhões em caixa para investimentos em 2009”, destaca o presidente do Sintect-AL, José Balbino. Ele lembra ainda que, em recente pesquisa realizada pela Forbes, os Correios Brasileiro apresentam-se como 1º colocado em respeitabilidade entre as empresas de Correios do mundo.

 

por Assessoria

Comentários comentar agora ❯