05 Outubro 2009 - 13:14

Selo de Qualidade em Lácteos será lançado nesta terça-feira

Criado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/AL) e pelo Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas de Alagoas (Sebrae/AL), e certificado pela empresa Brasil Sistemas de Gestão (BSI), será lançado, nesta terça-feira (06), o Selo de Qualidade em Lácteos produzidos em Alagoas. O Ministério Público Estadual, através do Núcleo do Meio Ambiente, está em entendimento para firmar uma parceria com o objetivo de combater as queijarias clandestinas. O evento de lançamento será realizado no Restaurante Carne de Sol do Picuí, a partir das 8h.

Na primeira etapa nove empresas estão passando por processo de certificação. O projeto também existe em outros três estados nordestinos — Sergipe, Pernambuco e Maranhão. A implantação do selo promete trazer uma série de vantagens para as empresas, que terão um diferencial perante o mercado, e para os consumidores, que terão mais confiança em adquirir um produto com acompanhamento permanente sobre a sua procedência, qualidade e segurança.

O assunto foi apresentado ao procurador-geral de Justiça, Eduardo Tavares, pelo diretor de Tecnologia do Senai, Alexandre Caiado Moraes e pelo gestor de ações do SEBRAE para o Arranjo Produtivo Local Laticínios no Sertão , Marcos Fortes. A promotora de Justiça Dalva Tenório, que também participou da apresentação, enfatizou que o selo visa garantir a qualidade do produto comercializado, em especial o queijo coalho.

“O selo visa passar segurança para o consumidor de que aquele produto é monitorado através de análises fisicoquímicas e microbiológicas. Além disso, é uma valorização dos investimentos da empresa para a melhoria da qualidade do seu produto”, afirma o diretor de Tecnologia do Senai, Alexandre Caiado Moraes. Ele lembrou que o selo não é obrigatório, diferente dos selos de inspeção federal e estadual – que são pré requisitos obrigatórios para o processo de certificação e para o simples funcionamento e que assim mesmo a maioria das queijarias alagoanas não possui.

Para Marcos Fontes, a iniciativa de criar o selo de qualidade em parceria com o Senai surge diante da concorrência desleal imposta aos produtores que investiram em equipamentos e estrutura para oferecer ao consumidor um produto de qualidade, livre de impurezas e riscos à saúde. “Com a instituição do selo, as queijarias legalizadas terão uma divulgação maior do seu produto, até para corresponder ao investimento dedicado à sua modernização e qualidade”, completou.

A base do selo será o cumprimento da legislação vigente, os critérios da metodologia do Programa Alimentos Seguros (PAS), que trata de processos de qualidade como Boas Práticas de Fabricação (BPF) e Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC), além de procedimentos de rastreabilidade de produto e de tratamento de reclamação de cliente, aliados a análises laboratoriais de curta periodicidade que serão acompanhadas pela empresa certificadora e por laboratórios habilitados.

por Agência Alagoas

Comentários comentar agora ❯