Roberto Lopes

Roberto Lopes

Formado em Letras, Jornalismo com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Advogado

Postado em 02/06/2021 23:57

Câmara de Maceió discute projeto que disponibiliza absorventes na rede municipal de saúde

Assessoria
Câmara de Maceió discute projeto que disponibiliza absorventes na rede municipal de saúde
Projeto de lei é de autoria da vereadora Olívia Tenório

A Câmara Municipal de Maceió, discutiu nesta quarta-feira, 2, um projeto de lei de autoria da vereadora Olívia Tenório (MDB), que tem como objetivo, disponibilizar absorventes higiênicos em todas as unidades de saúde da rede municipal da saúde da capital alagoana. A matéria que passou em primeira discussão no Plenário, já havia recebido pareceres favoráveis das comissões técnicas da Casa.

Olívia Tenório disse que a proposição é uma promessa de campanha que neste momento se transforma em realidade. A vereadora ressaltou que esta inciativa já vem acontecendo no país inteiro. “A pobreza menstrual é um assunto urgente e que precisa ser tratado como questão de saúde pública. Nós, mulheres, não escolhemos menstruar, é algo que todo mês está batendo na nossa porta, e a situação de não ter o mínimo, que é um absorvente durante o período menstrual, é de uma crueldade enorme”, destacou Olívia.

A vereadora explica que o projeto prevê a disponibilização de absorventes higiênicos para mulheres que estejam precisando, da mesma forma como a camisinha é disponibilizada. “O objetivo é combater a pobreza menstrual, termo usado pela Organização Mundial da Saúde para definir a dificuldade das mulheres de baixa renda de terem acesso aos produtos necessários durante o período menstrual, como absorventes, água, sabonete, e outros itens”, disse Olívia Tenório.

Para escapar dessa realidade, segundo a autora do projeto, as mulheres encontraram outras maneiras de contornar o período menstrual. “Essas maneiras apresentam riscos a saúde das mulheres. Materiais não adequados quando usados para substituir os absorventes higiênicos podem causar danos irreversíveis a saúde feminina”, concluiu Olívia.

Após os trâmites legais na Câmara Municipal, o projeto de lei será encaminhado ao Chefe do Executivo para que possa ser sancionado e tornado lei. Caso ele seja vetado pelo prefeito, a matéria retornará ao Legislativo municipal que poderá derrubar o veto e promulgar a lei.
   

Comentários comentar agora ❯