Roberto Lopes

Roberto Lopes

Formado em Letras, Jornalismo com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Advogado

Postado em 29/06/2018 00:27

Projeto de lei amplia área de atuação da Codevasf para incluir novos rios

Arquivo - aquiacontece.com.br
Projeto de lei amplia área de atuação da Codevasf para incluir novos rios
Sede da 5ª Superintendência Regional em Penedo

A Câmara dos Deputados começa a analisar projeto de lei, de autoria do deputado Félix Mendonça Júnior (PDT-BA), que altera a Lei n.º Lei no 6.088, de 16 de julho de 1974, que dispõe sobre a criação da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf), para incluir os rios rios Paraguaçu (BA), Subaé (BA), de Contas (BA), Jiquiriçá (BA), Jequitinhonha (MG/BA) e Mucuri (MG/BA) em sua área de atuação. Atualmente, a Codevasf atua nos vales dos rios São Francisco, Parnaíba, Itapecuru, Mearim, Paraíba, Mundaú, Jequiá, Tocantins, Munim, Gurupi, Turiaçu e Pericumã.

A Companhia de Desenvolvimento do Vale do Rio São Francisco foi fundada em 1974. Desde seu nascedouro, a Companhia naturalmente atuou de modo a integrar o desenvolvimento em diferentes estados da Federação, a saber, os estados de Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Minas Gerais, Goiás e do Distrito Federal. A partir de janeiro de 2000 a Companhia passou por sua primeira expansão e incluiu o vale do rio Parnaíba em sua área de abrangência. Em 2009 incluiu também o estado do Ceará. Em 2010, em uma terceira expansão, incorporou os rios Itapecuru e Mearim.

“Acreditamos que é chegado o momento de ampliar novamente sua atuação, desta vez incorporando os vales dos rios Paraguaçu, Subaé, rio de Contas, Jequitinhonha, Jiquiriçá e Mucuri. A boa experiência da Companhia e os bons resultados alcançados a partir de sua atuação nos levam a crer que seu apoio e suporte aos projetos de desenvolvimento nas novas regiões incorporadas será de grande contribuição para a resolução dos problemas socioeconômicos enfrentados pela população alcançada por esses rios”, explica o deputado Félix Mendonça Júnior.

A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia; e de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados.
 

Comentários comentar agora ❯