Roberto Lopes

Roberto Lopes

Formado em Letras, Jornalismo com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Advogado

Postado em 17/02/2012 00:21

Ministério da Saúde autoriza Alagoas a implantar Núcleos de Apoio a Saúde da Família

O Ministério da Saúde autorizou o Estado de Alagoas a instalar oito Núcleos de Apoio a Saúde da Família (Nasf) do Tipo I, em que a soma das cargas horárias semanais dos profissionais que atuam no apoio às Equipes de Saúde da Família (ESFs) deve ser de, no mínimo, 200 horas semanais.

Além de Alagoas, os estados do Acre, Amazonas, Ceará e Maranhão também foram autorizados a instalarem oito Nasf do Tipo I. Nos Núcleos de Apoio a Saúde da Família os profissionais de saúde atuam em atividades como consultas conjuntas, discussões de casos e ações de educação em saúde junto à população.

A autorização foi dada por meio da portaria 276, do Ministério da Saúde, assinada pelo ministro Alexandre Padilha, que contempla ao todo, 49 municípios em 13 estados brasileiros. A ideia, segundo o ministério, é fortalecer a rede Saúde Mais Perto de Você.

A assessoria de imprensa do Ministério da Saúde informou que para a criação desses novos núcleos, estão garantidos R$ 580 mil. Já para o custeio anual das novas unidades, os recursos federais chegam a R$ 6,9 milhões.

Apesar da autorização para instalar oito Nasf em Alagoas, apenas o município de Taquarana esta credenciado para recebimento do incentivo financeiro por parte do Ministério da Sáude para instalação do Núcleo.

A mesma portaria contempla ainda, os estados da Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins com a implantação de 12 Nasf Tipo I e 30 Nasf Tipo II, em que os profissionais acumulam, no mínimo, 120 horas semanais.

O Ministério da Saúde criou o NASF, por meio da Portaria GM nº 154, de 24 de Janeiro de 2008, Republicada em 04 de Março de 2008. O NASF tipo 1, o autorizado a ser implantado em Alagoas, deverá ser composto por no mínimo cinco desses profissionais: psicólogo; assistente social; farmacêutico; fisioterapeuta; fonoaudiólogo; profissional da educação física; nutricionista; terapeuta ocupacional; e médicos ginecologista, homeopata acupunturista, pediatra e psiquiatra. 
 

Comentários comentar agora ❯

  • Flávio Será que nem assim a nossa cidade de Penedo será beneficiada?