Martha Martyres

Martha Martyres

Radialista, diretora da rádio Penedo FM, âncora do jornalismo no Programa Lance Livre

Postado em 27/09/2011 16:39

No Tribunal também tem! Ah!, se fosse apenas no rádio!

Hoje eu estava às voltas com laudo de ensaio de transmissor, renovação de outorga, alterações técnicas, enfim, a parte mais difícil e burocrática da comunicação e que tem o poder de estressar qualquer um, quando abri a mensagem do meu amigo Radjalma Lopes e dei boas risadas com essas “pérolas” do livro “Desordem no Tribunal” e que reproduzo aqui para compartilhar com nossos leitores internautas o saudável exercício do riso, já que nos últimos tempos, analisar fatos nessa cidade é pedir para chorar.

“Advogado : Qual é a data do seu aniversário?
Testemunha: 15 de julho.
Advogado : Que ano?
Testemunha: Todo ano.
_____________________________________________
Advogado : Essa doença, a miastenia gravis, afeta sua memória?
Testemunha: Sim.
Advogado : E de que modo ela afeta sua memória?
Testemunha: Eu esqueço das coisas.
Advogado : Você esquece… Pode nos dar um exemplo de algo que você tenha esquecido ?
_______________________________________________
Advogado : Que idade tem seu filho?
Testemunha: 38 ou 35, não me lembro.
Advogado : Há quanto tempo ele mora com você?
Testemunha: Há 45 anos.
______________________________________________
Advogado : Qual foi a primeira coisa que seu marido disse quando acordou aquela manhã?
Testemunha: Ele disse, ‘Onde estou, Bete?’
Advogado : E por que você se aborreceu?
Testemunha: Meu nome é Célia..
______________________________________________
Advogado : Seu filho mais novo, o de 20 anos…
Testemunha: Sim.
Advogado : Que idade ele tem?
______________________________________________
Advogado : Sobre esta foto sua…. o senhor estava presente quando ela foi tirada?
_______________________________________________
Advogado : Então, a data de concepção do seu bebê foi 08 de agosto?
Testemunha: Sim, foi.
Advogado : E o que você estava fazendo nesse dia?
_______________________________________________
Advogado : Ela tinha 3 filhos, certo?
Testemunha: Certo.
Advogado : Quantos meninos?
Testemunha: Nenhum
Advogado : E quantas eram meninas?
_______________________________________________
Advogado : Sr. Marcos, por que acabou seu primeiro casamento?
Testemunha: Por morte do cônjuge..
Advogado : E por morte de que cônjuge ele acabou?
_______________________________________________
Advogado : Poderia descrever o suspeito?
Testemunha: Ele tinha estatura mediana e usava barba.
Advogado : E era um homem ou uma mulher?
_______________________________________________
Advogado : Doutor, quantas autópsias o senhor já realizou em pessoas mortas?
Testemunha: Todas as autópsias que fiz foram em pessoas mortas…
_______________________________________________
Advogado : Aqui na corte, para cada pergunta que eu lhe fizer, sua resposta deve ser oral, Ok? Que escola você freqüenta?
Testemunha: Oral.
_______________________________ _______________
Advogado : Doutor, o senhor se lembra da hora em que começou a examinar o corpo da vitima?
Testemunha: Sim, a autópsia começou às 20:30 h.
Advogado : E o sr. Décio já estava morto a essa hora?
Testemunha: Não… Ele estava sentado na maca, se perguntando porque eu estava fazendo aquela autópsia nele.
_______________________________________________
******* Essa é a melhor ********
Advogado : Doutor, antes de fazer a autópsia, o senhor checou o pulso da vítima?
Testemunha: Não.
Advogado : O senhor checou a pressão arterial?
Testemunha: Não.
Advogado : O senhor checou a respiração?
Testemunha: Não.
Advogado : Então, é possível que a vítima estivesse viva quando a autópsia começou?
Testemunha: Não.
Advogado : Como o senhor pode ter essa certeza?
Testemunha: Porque o cérebro do paciente estava num jarro sobre a mesa.
Advogado : Mas ele poderia estar vivo mesmo assim?
Testemunha: Sim, é possível que ele estivesse vivo e cursando Direito em algum lugar !!!

Esta, segundo a mensagem, é o bônus do meu amigo:

Um homem pergunta pra Deus?
- Senhor! Porque fizeste a mulher tão bonita????
Deus responde:
- Para que tu gostasses dela.
- Mas então porque a fizeste tão burra?
- E Deus responde:
- Para que ela pudesse gostar de ti…

E esta é o meu bônus, que aliás, me foi contada por um advogado daqui. Deixo aos leitores a liberdade de imaginação sobre os protagonistas.

Era a quinta ou sexta audiência sobre pensão alimentícia e juiz e promotor já estavam impacientes com o réu que, pelas ações movidas por diferentes mulheres, demonstrava sua falta de zelo para com a responsabilidade que cabe a qualquer cidadão que põe um filho no mundo.
Aberta a audiência, o juiz pergunta:
- Senhor Fulano, o senhor sabe quantas vezes o senhor já esteve nesse Fórum pelo mesmo motivo?
E o réu, humildemente:
- Umas seis vezes, doutor.
- O senhor não acha um absurdo essa situação? Como homem e como juiz eu sinto que devo dizer-lhe que o senhor precisa ter mais responsabilidade. São mais de seis filhos com seis mulheres diferentes! Esse seu comportamento é altamente condenável!
E passando a palavra ao representante do Ministério Público:
- E o doutor promotor, o que acha?
O promotor pegou o processo, examinou calmamente, e depois dirigindo-se ao réu, observou:
- É, senhor fulano, o senhor realmente tem uma prole muito grande.
E o réu, mais animado:
- E grossa, doutor!

Comentários comentar agora ❯

  • Manoel Eu tenho que admitir, hoje eu ri bastante, essa eu vou imprimir pra levar pros amigos.