31 Agosto 2019 - 22:56

Prefeitura constrói outros três ecopontos e fortalece ações de tratamento dos resíduos sólidos

Três novas Estações de Entrega Voluntária de Resíduos Sólidos (Ecopontos) estão sendo erguidas em Aracaju. Duas delas, na Coroa do Meio e no Santos Dumont, estão em fase de conclusão das obras, e a terceira está na etapa inicial, no bairro 17 de Março. A construção das unidades, realizada pela Prefeitura de Aracaju, por meio da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), se soma ao ecoponto do bairro Industrial, entregue à comunidade em agosto do ano passado, o primeiro dos 18 que a gestão municipal planeja contruir até 2020.

A construção das unidades integra o Planejamento Estratégico da gestão e contempla o item 17, que tem por objetivo assegurar o manejo e o tratamento sustentável dos resíduos sólidos da capital. No entanto, mais do que agregar qualidade ao planejamento da administração municipal, a edificação dos ecopontos é uma das formas de devolver aos moradores da cidade a qualidade de vida em tempos nos quais um dos grandes desafios é solucionar o destino do lixo produzido pela população.

O local é uma área pública destinada ao recebimento de resíduos da construção civil e resíduos volumosos, limitados a 1m³ por descarga, gerados e entregues pelos munícipes, podendo ainda ser coletados e entregues por pequenos transportadores contratados diretamente pelos geradores dos resíduos.

De acordo com o presidente da Emsurb, Luiz Roberto Dantas, os ecopontos também vieram para sanar um problema em Aracaju. “Tem por objetivo, principalmente, reduzir 90% dos pontos de descarte irregular, sobretudo, o resíduos da construção civil e os volumosos. É claro que não é só essa iniciativa que vai contribuir com isso, o próprio paisagismo, as intervenções que estão sendo feitas também têm contribuído muito. Mas, os ecopontos, eu diria, fecham esse ciclo de eliminação desses pontos, o que traz benefícios para a cidade, do ponto de vista ambiental, e ainda com relação à saúde, já que diminui também possíveis criadores do Aedes aegipty, por exemplo”, destacou.

Com essas ações, de 2017 até o momento, dos 240 pontos de descarte irregular que existiam na capital, 80 já foram eliminados.
 

por Secom - Aracaju

Comentários comentar agora ❯