15 Junho 2019 - 12:27

Governo e Celse entregam reforma e modernização da Biblioteca Pública Epiphanio Dória

Divulgação
A reforma da BPED recebeu um investimento na ordem de R$ 1,8 milhões

Às vésperas de completar 171 anos, no próximo domingo, 16 de junho, a Biblioteca Pública Epiphanio Dória (BPED) foi entregue à população sergipana totalmente reformada e modernizada. A solenidade de reinauguração ocorreu nesta sexta-feira (14), e contou com a participação do governador Belivaldo Chagas, acompanhado da vice-governadora Eliane Aquino. A reforma da BPED recebeu um investimento na ordem de R$ 1,8 milhões, fruto do Protocolo de Intenções entre o Governo de Sergipe e a Centrais Elétricas de Sergipe (Celse), empresa responsável pela construção da Termelétrica na Barra dos Coqueiros. Na oportunidade, também foram entregues a Sala e o Monumento Governador Marcelo Déda.

“Um momento extremamente importante, no qual o governo do Estado entrega à sociedade sergipana, a Biblioteca Pública totalmente reformada, modernizada, graças a um termo de cooperação que foi assinado com a Celse. Momento de alegria e felicidade em que fiz questão de agradecer a Celse e também ao ex-governador Jackson Barreto, que na época que foi firmado o Protocolo com a Celse, definiu quais as obras seriam recuperadas fruto desse apoio cultural. Portanto, um momento em que fazemos a entrega desse prédio moderno e com uma novidade, o acréscimo da Sala Governador Marcelo Déda, na qual o seu acervo vai estar todo aqui depositado para que a população de Sergipe possa conhecer melhor a sua história”, ressaltou o governador Belivaldo Chagas.

O protocolo visa preservar o patrimônio cultural e histórico de espaços públicos que integram o meio cultural de Sergipe. Através do protocolo, também foram feitas melhorias no Arquivo Público de Sergipe e Teatro Tobias Barreto.

“É a segunda obra que estamos entregando como parte desse compromisso com o Estado, e vai ficar faltando apenas o Teatro Tobias Barreto, que esperamos entregar até o final de julho. Uma iniciativa muito boa para governo do Estado, porque são três prédios importantes para os sergipanos. Então, a gente se sente muito honrado em ter contribuído com a reforma desses prédios”, disse o diretor-presidente da Celse, Pedro Litsek.

Com a expectativa de continuar sendo o equipamento referencial na formação de leitores de Sergipe, a reforma da BPED teve o intuito de facilitar o acesso do público, no cumprimento do papel social, por resguardar grande parte da história cultural de Sergipe. Também contemplou melhoria das instalações e promoção da acessibilidade à Biblioteca Infantil.

Homenagem a Marcelo Déda

Na oportunidade, o governador Belivaldo Chagas sancionou a Lei que cria a Sala Governador Marcelo Déda, que foi aprovada, por unanimidade, pela Assembleia Legislativa de Sergipe, para guarda, conservação, exposição, e memória do acervo pessoal e literário do ex-governador Marcelo Déda.

“A gente conseguiu coletar uma boa parte da documentação que Marcelo Déda tinha. É um espaço, principalmente, de pesquisa, no qual a gente vai poder receber doações das pessoas que têm alguma matéria que envolva ele. Aos poucos, vamos contar a história dele”, pontuou Eliane Aquino, viúva do ex-governador Marcelo Déda.

Além da Sala, foi erguida no jardim da biblioteca, uma escultura do ex-governador à base de concreto, criada pelo artista Bené e doada pelo próprio Instituto Marcelo Déda. A posição escolhida pelo artista Bené visou aproveitar a geometria da rua em curva dando maior visibilidade do monumento em forma de meia cana, sendo sua posição voltada para a Rua Dr. Celso Oliva.

“É um momento muito importante, não só pelo homem Marcelo Déda, mas pelo que ele representou com o olhar muito especial para a cultura do nosso estado. Um cara que sempre foi muito letrado, que se fez diante de toda leitura, conhecimento e amor que tinha pela cultura, por essa biblioteca. Colocar um monumento como esse aqui, tem o intuito de inspirar as novas gerações, as crianças para que elas saibam quem foi Marcelo Déda e porque ele está aqui. Que o pensamento de Marcelo Déda seja multiplicado! Esse é o nosso desejo. E para mim, especialmente, que fui esposa dele, tenho muito orgulho de espalhar o pensamento de Marcelo Déda. O que nós queremos é que aqui seja um espaço vivo e que, cada vez mais, tenhamos as pessoas, em especial, crianças e jovens frequentando as bibliotecas, os nossos ambientes culturais para que o conhecimento entre na alma e na vida das pessoas e possa mudar o mundo”, declarou a vice-governadora.

“Hoje estamos aqui para inaugurar a reforma esse prédio, tornando-o mais atrativo ainda para que a população possa para aqui se dirigir e se utilizar de tudo de bom que tem no campo da cultura. E quando falo em destinos quero me referir a Marcelo Déda Chagas. A primeira reunião que aconteceu em Sergipe para que um dia a Termelétrica se tornasse realidade foi com Déda, e esse grupo que hoje está aqui, implantando esse grande projeto. E por que repito que o destino nos traz grandes surpresas? Acaba que hoje temos um terminal com o nome de Marcelo Déda e, hoje, ao inaugurar a reforma deste prédio, assim, fazemos entregando uma sala que resgata a memória de Déda”, destacou Belivaldo Chagas.

Para o presidente do Instituto Marcelo Déda, Oliveira Júnior, é um dia de muita alegria. "Estamos chegando a um marco na vida desse Instituto, que foi criado pelo próprio Marcelo Déda ainda em vida. Era um desejo dele ter ações que procurassem preservar o seu legado, memória, trabalho, a sua luta”

Foi entregue, na ocasião, o livro ‘A Biblioteca Provincial de Sergipe’, do escritor Gilfrancisco, numa publicação da Editora Oficial do Estado de Sergipe. A publicação conta a trajetória desde a criação da biblioteca e os porquês que levaram a instituição a mudar o seu nome. As autoridades presentes no dispositivo foram presenteadas com o livro.

Modernização

A obra compreendeu a reforma de todo o prédio, assim como da Biblioteca Infantil. Desta maneira, foram realizadas a recuperação da estrutura física do prédio, modernização do auditório, substituição do sistema de refrigeração, adequações em acessibilidade de banheiros e colocação de piso táteis, implantação de um laboratório de digitalização, troca de piso, pintura geral do imóvel e atualização das instalações elétricas e hidráulicas. O carpete da sala de apresentações foi trocado e a sala de leitura recebeu uma atenção especial para proporcionar melhor acolhimento aos leitores e estudantes. Também foi feita a reorganização do acervo. Durante a obra foi implementada a interligação da Biblioteca à intranet do Estado através de fibra ótica, permitindo uma conexão de banda larga de alta capacidade.

Houve também a necessidade de ampliar os espaços da biblioteca infantil para proporcionar ao público infantojuvenil igualdade de acesso, com ambientes amplos, confortáveis, modernos, interativos e dinâmicos, viabilizando às crianças maiores possibilidades de participação nas rodas de leituras, contação de histórias, teatro, uso da tecnologia e oficinas de arte.

"Um dos melhores investimentos de qualquer governo é em cultura e leitura, pois assim a gente desenvolve as pessoas. E só há desenvolvimento em um país, estado ou município se houver pessoas com conhecimento, informadas. O governo de Sergipe está de parabéns pela sensibilidade, quando da possibilidade de reformar qualquer outro espaço, optou por esses prédios culturais. Mais um atrativo para as pessoas, fonte de pesquisa para estudantes, pesquisadores e toda população sergipana. Fico muito feliz. Essa casa é do povo, é um local de debates, exposições, arte, leitura, cultura e muito mais. Um local digno para o povo sergipano", disse a diretora da BPED e coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas, Juciene de Jesus.

Foi disponibilizada a melhor sala da Epiphanio, logo na entrada, com fácil acesso e capacidade para 40 alunos sentados às 10 mesas com quatro cadeiras cada, e mais 25 ou 30 acomodados nos tapetes, pufs e almofadas que ocuparão o grande centro da sala. No antigo prédio da infantil, cedeu-se algumas salas para o Patrimônio, que já funcionava na BPED, e a sala maior permanecerá com projetos e programas para o incentivo à leitura das crianças: cursos de formação de professores e mediadores de leitura, oficinas de brinquedos e de contação de histórias.

História

A Biblioteca Pública Estadual Epiphanio Dória é a mais antiga e mais completa instituição do gênero do Estado de Sergipe, fundada em 1848 no Brasil império, inicialmente chamada de Biblioteca Provincial de Sergipe. Antigamente o seu acervo ocupava uma sala do Convento São Francisco, na cidade de São Cristóvão. Com a mudança da capital, foi transferida para Aracaju, e em 1970, recebeu o nome de Epiphanio Dória, intelectual que dirigiu a Biblioteca durante 29 anos.

A Biblioteca Pública Epiphanio Dória coordena o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de Sergipe, que trabalha em rede com o Sistema Nacional, órgão vinculado ao Ministério da Cidadania, buscando fortalecer as ações de estímulo ao livro e à leitura, e nos municípios através do fortalecimento de suas bibliotecas por meio de ações, programas e projetos.

Com a entrega do equipamento à população, a direção da biblioteca pública fez uma pesquisa, inclusive entrando em contado com familiares do homenageado que nomeia o equipamento e decidiu-se manter o nome original do homenageado grafado com “ph” e sem acento.

Durante os últimos 34 anos, a biblioteca infantil foi denominada, por decreto, de BIAFA em homenagem à renomada professora Aglaé Fontes de Alencar, mas a lei atual proibi a manutenção de nomes de pessoas vivas. Por conta disso, em respeito à referida professora o governo de Sergipe não viu a necessidade de novo batismo e voltou a ser somente biblioteca infantil, retornando ao status de acervo infantil da Epiphanio Dória.

por Agência Sergipe

AquiAcontece.com.br © 2016 - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do AquiAcontece.com.br.