14 Junho 2019 - 15:48

Construção do mercado municipal de Pacatuba vai melhorar o comércio na região do Baixo São Francisco

Divulgação
Intervenção de 1.120,79 m² trará conforto, segurança e comodidade a população do município do Baixo São Francisco

“Gostei muito, vai ficar bom quando estiver pronto e será melhor tanto para quem vende os produtos, quanto para quem for comprá-los, pois, ao invés de serem expostos na rua, terão um lugar adequado, coberto e com higiene”, declarou a professora Maria Aparecida Nascimento, 59 anos, após visitar as instalações do futuro mercado municipal de Pacatuba e se mostrar surpresa e satisfeita o que viu.

A obra, que está com 60% dos trabalhos executados, já enche os pacatubenses de expectativas de melhoria no comércio e nas acomodações dos produtos que hoje são expostos em feiras no município. Milena Santos Cruz, 16 anos, aprova as futuras instalações do mercado. “Sempre venho à feira com meus pais, e vejo que os produtos são expostos e vendidos na rua. Gostei muito e quando estiver pronto vai ser muito bom, pois agora teremos um lugar reservado para comprar”, destaca.

Executado pelo Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento e da Sustentabilidade (Sedurbs), o novo mercado municipal tem investimentos no valor de R$1.732.834,95, assegurados pelo Programa Sergipe Cidades e dará um novo conceito à comercialização de carnes na feira municipal.

Seguindo as normas estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), a obra edificada na Rua Leandro Maciel – uma das principais vias da cidade no Baixo São Francisco –, tem 1.120,79 m² de área construída e vem atender a um anseio antigo dos feirantes e consumidores.

O mercado

Concebido para garantir conforto, comodidade e segurança aos moradores, o mercado foi construído no formato galpão pré-moldado em concreto armado, cobertura de telha em alumínio, piso de alta resistência e revestimento cerâmico nas paredes. Dividido em seis amplos corredores transversais e dois longitudinais, o espaço possui duas portas de acesso, 92 boxes específicos para a comercialização dos mais diversos tipos de carnes. Todos eles possuem bancada de atendimento ao público em revestimento cerâmico, pia específica para a lavagem de mãos, pia em granito com cuba inox, piso cerâmico, revestimento cerâmico nas paredes e rodapé em alta resistência.

Também faz parte das dependências, sala de administração, depósito, banheiros masculino e feminino e outros dois, exclusivos para pessoas com mobilidade reduzida, sala de processamento e corte, com entrada específica e onde as carnes serão acondicionadas e cortadas antes de irem para a comercialização nos boxes, um depósito, uma casa de bomba e duas casas de lixo.

O mercado recebeu um eficiente sistema de drenagem, fossa filtro e tanque de acúmulo, dois reservatórios de água com capacidade de 5.000 litros. As instalações elétricas foram executadas com materiais de primeira qualidade e a iluminação interna é composta por 68 modernas luminárias e 26 lâmpadas de emergência, sinalização indicativa, além do sistema de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA) e instalação de extintores de incêndio.

Para garantir segurança aos frequentadores, a área externa do mercado será ladeada por calçada em uma entrada exclusiva para carga e descarga de caminhão. O direito a acessibilidade está garantido com a construção de rampas de acesso em todas as portas de entrada, além dos banheiros adaptados e acesso a 46 boxes.

Os serviços

Segundo o engenheiro fiscal da obra, Maicon Fraga, o andamento dos serviços é satisfatório. “No momento 20 profissionais (pedreiros, ajudantes e eletricistas) executam o revestimento cerâmico, contrapiso, instalações elétricas, hidráulicas, sanitárias e de SPDA. Posteriormente a esses serviços, executaremos a instalação da fossa filtro, construção das calçadas e implantação do piso de alta resistência”, detalha.

Além de proporcionar melhores condições para a comercialização de carnes, o mercado de Pacatuba elevará a autoestima dos moradores, já que a feira livre é a principal atividade comercial da população que reside em cidades do interior, e, quando realizada em um lugar amplo, arejado, organizado, com as devidas condições de higiene e acesso facilitado, o cidadão sente-se respeitado e olhado com atenção pelo poder público.

Residindo na cidade há muitos anos, a dona de casa Geovane Lucindo Maurício, 48 anos, diz que o município só tem a ganhar com a intervenção. “Qualquer obra é boa para a população e essa vai ser melhor porque será muito boa para o município, já que agora teremos um local adequado para a venda de carnes“, frisa.

por Agência Sergipe

AquiAcontece.com.br © 2016 - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do AquiAcontece.com.br.