13 Janeiro 2018 - 10:42

Fiscais do ITPS flagram 54 veículos com cronotacógrafos irregulares

O Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS) – Órgão Delegado do Inmetro -, flagrou nesta quarta-feira, 10, em uma fiscalização na avenida Tancredo Neves, em Aracaju, 54 veículos com irregularidades no certificado de verificação do cronotacógrafo.

O instrumento, que registra a velocidade e a distância percorrida pelo veículo em função do tempo decorrido, é obrigatório em veículos de carga com peso bruto acima de 4.536 kg e veículos de passageiros com mais de 10 lugares. Em caso de acidentes, o registro do instrumento pode servir para laudos periciais e investigações policiais.

Durante a ação, que ocorreu com apoio de agentes fiscais da SMTT, foram fiscalizados 513 veículos, entre caminhões e vans. Os proprietários dos veículos - com o certificado de verificação do cronotacógrafo vencido - receberam uma notificação e foram imediatamente encaminhados ao posto de selagem mais próximo para verificação do equipamento. Eles também receberam um prazo de 10 dias para apresentação de defesa ao setor jurídico do ITPS. A penalidade vai de advertência a multa que varia de R$ 150 e R$ 1,5 milhão.

“Nosso objetivo maior é garantir a segurança no trânsito, orientando os condutores e proprietários dos veículos para que mantenham o certificado do cronotacógrafo atualizado. Essa é a primeira vez que a fiscalização de cronotacógrafos acontece na capital sergipana, mas no interior elas acontecem de forma rotineira. Em 2017, foram aproximadamente 10 mil veículos verificados e 400 notificados”, esclarece o diretor-presidente do ITPS, Léo Araújo.

Além de indicar e registrar, de forma simultânea, inalterável e instantânea, a velocidade e a distância percorrida pelo veículo, em função do tempo decorrido, O cronotacógrafo também registra parâmetros relacionados ao condutor do veículo, tais como: o tempo de trabalho e os tempos de parada e de direção. O instrumento é obrigatório em veículos de carga, transporte de passageiros, escolar e de produtos perigosos.
 

por Agência Sergipe

Comentários comentar agora ❯