12 Julho 2019 - 22:21

Prefeitura alerta a população sobre cuidados para evitar doenças comuns em períodos chuvosos

Com o intenso volume de chuvas que vem caindo na capital ao longo da semana, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), alerta à população para ter cuidado com águas contaminadas, de modo a evitar contaminação e doenças em áreas de alagamentos, enchentes e inundações.

A técnica responsável pela área das Zoonoses e Arboviroses da Diretoria de Vigilância e Atenção à Saúde (DVAS), Celiângela Lima, explica que as doenças mais comuns que podem aparecer nesta situação são a leptospirose, as hepatites agudas (A e E), as doenças diarréicas, o tétano acidental e acidentes envolvendo animais peçonhentos.

A primeira indicação é evitar entrar em contato direto com água e lama provenientes das chuvas. Para os trabalhadores dessas áreas, a regra é sempre utilizar botas e luvas de borracha. “Também é essencial manter o ambiente limpo, não deixando sobras de comida e colocar o lixo dentro de sacos plásticos em locais fechados para evitar o contato com roedores. Ao sinal dos primeiros sintomas, a pessoa deve procurar orientação médica para os devidos procedimentos”, alerta Celiângela.

Doenças

A leptospirose é uma doença transmitida através da urina dos ratos, a bactéria leptospira consegue se manter viva na água e na lama das chuvas. O período de incubação da bactéria no organismo humano ocorre após o contato com o agente infeccioso. Geralmente, depois das chuvas, a população limpa suas residências e é justamente nesse momento de contato com a água contaminada que ocorre a transmissão da leptospirose. Os sintomas são: febre alta, dores no corpo, de cabeça e na panturrilha e estes sintomas podem não aparecer de forma imediata, porque o período de incubação da bactéria é de até 30 dias.

Em 2017, foram notificados 22 casos de leptospirose, sendo 13 confirmados e três óbitos por causa da leptospirose. No ano passado, foram 18 notificados, nove confirmados e dois óbitos. Neste ano, até o momento, já tiveram 13 casos notificados e três confirmados.

O tétano acidental é uma doença infecciosa não contagiosa, prevenível por vacina, e entra no organismo por meio de ferimentos, cortes ou perfurações decorrentes de acidentes com objetos de metal (mesmo que não estejam enferrujados), madeira e vidro.

Em todas as Unidades Básicas de Saúde de Aracaju existe a vacina antitetânica, que precisa ser reforçada a cada dez anos. Em 2017, Aracaju registrou quatro casos de tétano acidental; em 2018, apenas um; e este ano ainda não houve nenhum caso registrado.

As hepatites A e E são transmitidas pela água e alimentos contaminados, apresentam período de incubação médio de 30 dias e só tiveram cinco casos registrados de hepatite A em 2017. O período de incubação de outras doenças transmissíveis por conta de ingestões de água contaminadas, como a cólera e o tifo e doenças diarreicas agudas, variam de algumas horas a até cinco dias. Em relação à agua, a orientação é ferver antes de utilizar.

Animais peçonhentos

Os animais peçonhentos, como aranhas, escorpiões e cobras, são outros problemas para a população neste período, com a chegada da chuva, eles podem ficar escondidos nos sapatos ou nas peças de roupas. A Prefeitura realiza ações de prevenção em duas frentes, tanto na atuação do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), com ações de desratização e dedetização, e com a coleta de lixo realizada pela Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb). 

por Secom - Aracaju

Comentários comentar agora ❯