20 Outubro 2010 - 00:50

Ibrape: Diferença entre Teotonio e Lessa é de apenas 5%

Fotomontagem

O Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino (Ibrape) divulgou resultado da pesquisa de intenção de votos para o governo do Estado de Alagoas neste segundo turno. A amostra aponta o candidato à reeleição, Teotonio Vilela Filho (PSDB), com 48% da preferência dos entrevistados e Ronaldo Lessa (PDT) aparece com 43%. A margem de erro da pesquisa divulgada pelo Ibrape é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O que quer dizer que Vilela pode ter entre 51% e 45% e Lessa, entre 46% e 40% e, numa simulação, os dois candidatos podem estar empatados tecnicamente

Segundo a pesquisa, 7% dos eleitores não quiseram opinar ou não quiseram responder ao questionamento. Outros 2% disseram que iriam votar em branco ou anular o voto.

Os dados foram coletados através de entrevista a 3 mil eleitores alagoanos, entre os dias 15 e 17 de outubro, na capital e também em municípios do interior do Estado. O trabalho foi encomendado pela coligação Frente Popular por Alagoas.

Pedetista vence em Maceió e tucano na região Sul

A pesquisa também traz dados sobre a intenção de votos dos candidatos de acordo com as regiões do Estado, e sexo, faixa etária, grau de instrução e opção religiosa declarada. Na capital alagoana, Maceió, Lessa aparece à frente, com 49%, contra 35% de Vilela. O candidato do PDT também vence o do PSDB na região Norte (48% a 44%). Já em regiões como o Sertão e o Sul, o tucano está na frente do pedetista (56% a 41% e 56% a 36%).

No que se refere aos demais parâmetros, em vários é possível observar empate técnico entre os dois candidatos, levando-se em conta a margem de erro de 3% da pesquisa. É o caso da intenção de votos entre o eleitorado masculino (Vilela tem 47%, Lessa, 45%), nas faixas etárias entre 45 e 59 anos (44% para o tucano e 47% para o pedetista) e acima dos 60 anos (44% e 43%, respectivamente), entre os analfabetos (46% e 43%), entre os que tem segundo grau (47% e 42%) e entre os que se declararam católicos (49% e 43%), evangélicos (46% e 41%) e os que disseram não ter nenhuma religião (43% para cada um).

por Redação

Comentários comentar agora ❯