20 Março 2010 - 10:20

Governo ajusta Orçamento, mas mantém investimentos no PAC, saúde e educação


O corte de R$ 21,8 bilhões ao Orçamento da União para 2010 não terá impacto na vida dos brasileiros. Conforme anúncio do ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, feito nesta sexta-feira (19/03), não sofrerão limitações o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e as despesas nas áreas de saúde e educação. “Estes programas sociais serão preservados”.

Paulo Bernardo explicou, em entrevista coletiva à imprensa, na sede do ministério, que o ajuste ao Orçamento serve para que o governo atinja a meta de superávit primário, ou seja, a economia feita para pagar os juros da dívida pública. O governo prevê uma economia equivalente a 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB), o que representa R$ 113 bilhões.

O ministro disse ainda que o corte mais significativo no orçamento foi com gastos com pessoal, cerca de R$ 1,4 bilhão. “Refizemos os cálculos da projeção dos salários e do gasto com pessoal quando elaboramos o plano de reestruturação de cargos e reduzimos os gastos com isso”, afirmou.

O detalhamento constará no decreto de reprogramação orçamentária que será publicado dentro de 10 dias. O ministro informou ainda que, mesmo com o arrecadação de impostos e tributos federais em 2010 – um um recorde para o mês: R$ 53 bilhões –, o corte nas despesas anunciado por ele se deve à previsão de queda na arreadação para este ano de cerca de R$ 18 bilhões

 

por Assessoria

Comentários comentar agora ❯