18 Fevereiro 2010 - 21:37

Governador apresenta balanço de gestão à Assembleia Legislativa

Plínio Nicácio
Governador fez um balanço de seu governo

 

O governador Teotonio Vilela Filho abriu, nesta quinta-feira (18), a primeira sessão solene da Assembleia Legislativa do Estado no ano de 2010. Aos 15 deputados presentes à sede do Poder Legislativo, Teotonio leu a mensagem governamental sobre os trabalhos realizados durante os três anos de governo. Na sessão de abertura, o presidente da ALE, Fernando Toledo, destacou a harmonia entre os poderes.

A sessão serviu para o governador apresentar os pontos positivos da gestão, a exemplo da superação da pobreza e da redução dos índices da mortalidade infantil e do analfabetismo no Estado. Teotonio reforçou que Alagoas foi o único Estado do Brasil a iniciar o ano de 2010 com todas as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em execução. De acordo com o governador, até junho deste ano, novas obras serão inauguradas, entre elas a duplicação da rodovia AL-101 Sul, novos empreendimentos industriais para o Estado e novas moradias para a população, através do programa Minha Casa, Minha Vida.

“Recentemente, recebemos elogios da coordenadora nacional de Gestão do PAC, a subchefe da Casa Civil, Miriam Belchior, em encontro onde reivindiquei a inserção de Alagoas no PAC 2, com investimentos na ordem de R$ 1,5 bilhão para infraestrutura. Atingimos a marca de 18 mil moradias em construção ou com a ordem de serviço garantida, distribuídas em diversos programas. Certamente que o governo federal tem uma relevante contribuição, mas temos colocado recursos próprios da ordem de R$ 37,8 milhões nessa frente de trabalho”, frisou.

No tocante à infraestrutura, Teotonio Vilela ressaltou que todos estes investimentos que os alagoanos veem e são beneficiados por eles só foram possíveis de se tornar realidade graças ao esforço dos trabalhos das áreas de planejamento, gestão e finanças, com destaque para a revisão do Plano Plurianual 2008-2011 e a criação do grupo gestor para monitorar os Projetos Estratégicos do Governo.

Além das obras e das realizações consideradas positivas para o Estado de Alagoas, Teotonio destacou a importância do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecoep). Em 2009, mais de R$ 31,1 milhões foram dirigidos à compra de sementes e ao Programa do Leite. Outra parte serviu para a aquisição de cestas nutricionais e para o incentivo de transferências aos municípios na área da assistência e desenvolvimento social, beneficiando a população carente.

“Na ação social estamos investindo diretamente, assegurando o cofinanciamento do governo estadual para efetivação do Sistema Único de Assistência Social, com a implantação dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) nos municípios alagoanos e a transferência de recursos próprios da ordem de R$ 16 mil ao mês para a manutenção desses centros. A Rede de Proteção Social vai contar com R$ 7,6 milhões, tudo isso oriundo do Fecoep”, destacou Teotonio.

Na retomada dos trabalhos do ano de 2010 no Poder Legislativo, Teotonio fez o balanço governamental nas áreas ligadas à infraestrutura e á assistência social, mas não deixou de citar as realizações alcançadas nas áreas da segurança pública, da Educação, Trabalho e Saúde do Estado de Alagoas. Segundo ele, já houve um registro bastante significativo na diminuição do número de sequestros, assaltos a bancos e nos crimes de mando.

“Já foi feita muita coisa para o Estado, mas sei que ainda há muito por fazer. O projeto Polícia Comunitária saiu na frente em Alagoas, com o programa Territórios da Paz. O piloto foi implantado no Conjunto Selma Bandeira, localizado no Benedito Bentes, em Maceió. Resultados positivos já são contabilizados, a exemplo da significativa redução de homicídios nessa área” declarou.

A fim de consolidar ainda mais as vocações econômicas do Estado, o Governo de Alagoas está investindo na reconstrução do ensino público, através do programa Geração Saber, executado pela Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (SEE), que, para Teotonio, representa um repensar da educação pública em Alagoas, no sentido da mudança da realidade educacional do Estado, melhorando a qualidade da educação básica da rede pública e revertendo os indicadores da educação.

“Estamos recuperando 123 escolas estaduais e construindo 25 novas, sendo quatro profissionalizantes, sendo duas já em fase de conclusão. Adquirimos 5 mil novos computadores e 40 mil carteiras escolares”, disse Teotonio. O programa estadual é fruto de parcerias com os municípios, o Governo Federal e a Organização das Nações Unidas, através do Pnud, envolvendo recursos da ordem de R$ 214 milhões.

Os números registrados para a empregabilidade de jovens e adultos no Estado de Alagoas ultrapassam a margem de 53 mil alagoanos colocados no mercado de trabalho. Já na saúde pública, o marco do governo de Teotonio Vilela é a queda na morte de menores de um ano. A redução é de 37% no número de óbitos infantis, a aquisição de 120 ambulâncias, com investimento de R$ 16 milhões, vindos de recursos próprios.

Na coordenação dos trabalhos legislativos, o presidente da Assembleia, Fernando Toledo, revelou que a primeira sessão do ano no plenário, com os deputados e o governador, representa o dogma e a harmonia que a casa tem entre os poderes. “Esse encontro serviu para registrar a responsabilidade e o compromisso que o plenário tem com os interesses do povo alagoano para tornar melhor a vida dos cidadãos”, assegurou o presidente.

 

por Agência Alagoas

Comentários comentar agora ❯

  • alanis Governador, eu gostaria de te lembrar que uma gestão tem 4 anos e nao 10 meses, fale sobre os presidios, penedo, por ex, tiveram tantas fulgas q os presos so iam la pra melar o dedo no carimbo, inclusive virando materia do jornal nacional, é facil passar 3 anos sem fazer nada e no final do mandato pegar carona nas costas do nosso presidente LULA. Tenho certeza governador que penedo dará o troco nas eleições.
  • paula Veja: número de assassinatos cresceu 62% em Maceió em três anos 17h21, 20 de julho de 2009 De acordo com a matéria ‘O paradoxo nordestino’, publicada na revista Veja desse final de semana, 62% foi o quanto subiu o número de assassinatos em Maceió em três anos. Segundo a reportagem, Maceió é a capital mais insegura, com 104 homicídios por grupo de 100  mil habitantes, índice superior ao do Iraque. Ta vendo governador é o seu mandato.