08 Novembro 2017 - 00:19

Renan critica decisão do governo Temer de privatizar o setor elétrico

Foto: Agência Senado
Renan critica decisão de privatizar o setor elétrico brasileiro

O possível decreto do Governo Federal, que autoriza a privatização das empresas do setor elétrico, foi alvo de críticas na sessão desta terça-feira (7) no Senado Federal. O assunto foi levado à pauta pelo senador Renan Calheiros, que lembrou a importância da Eletrobras para Alagoas e o risco destas privatizações para a economia do país. O decreto foi sancionado no dia primeiro de novembro.

Durante seu discurso, o senador alagoano lembrou que o Senado precisa ser ouvido. “O Congresso Nacional não pode aceitar que o Brasil se transforme em um balcão de negócios e que o Presidente da República queira privatizar o setor elétrico por decreto, em detrimento da competência constitucional do Congresso Nacional. Isso não pode acontecer. Nós não podemos assistir passivamente ao que está acontecendo no Brasil. Isso é um horror”, afirmou.

Sobre a Eletrobras em Alagoas, Renan lembrou, que a empresa foi federalizada e o Governo Federal nunca houve o pagou pela aquisição. “O Governo Federal nunca pagou pelo controle da empresa no Estado e agora ela vai ser privatizada mediante um decreto”. Antes de encerrar, o senador voltou a criticar a forma como o presidente Michel Temer tem agido para tentar se defender. 

“O Presidente da República conseguiu transferir o ex-presidente da Câmara dos Deputados, o Eduardo Cunha, para vir, de corpo presente, fazer a defesa dele em Brasília. Eu, outro dia, soube até que tinha mudado o advogado do presidente. Fui ver, na prática, o advogado continua o mesmo: Eduardo Cunha. Mas o Judiciário transferiu para ele, de corpo presente, vir fazer a defesa em Brasília, negando evidências que já estão comprovadas verdadeiramente. Eu jamais podia imaginar que nós chegássemos nesse patamar de coisas no Brasil”, finalizou.

por Assessoria

Comentários comentar agora ❯