06 Outubro 2009 - 18:36

Nezinho quer evitar exposição de sinistros

ALE

Os veículos envolvidos em acidentes graves nas rodovias de Alagoas e que resultem em vítimas fatais, não poderão mais ficar à mostra em postos das polícias rodoviária federal, estadual ou de batalhões de trânsito, caso seja aprovado na Assembléia Legislativa, projeto de lei de autoria do deputado estadual Ricardo Nezinho (PTdoB), que tramita nas comissões da Casa.

A proposta, segundo o deputado, visa resguardar às famílias das vítimas dos acidentes, que em vários casos são obrigadas a passar nos locais para onde os veículos foram removidos, trazendo lembranças desagradáveis, principalmente quando ainda não se recuperaram de seus entes queridos. “Trata-se de um projeto de grande anseio popular, justamente porque se tem observado a preocupação com a existência de constrangimento e descontentamento dado aos veículos envolvidos em acidentes”, afirma Nezinho.

Para ele, esse tipo de atitude ‘provoca repulsa, sensação de desprezo e insensibilidade, tanto com os veículos, que ficam ao céu aberto, expostos a toda sorte de deterioração, bem como aos familiares das vítimas’. “Trata-se de uma situação muito mais constrangedora, que é o fato de que familiares de vítimas são obrigadas a transitarem por locais acessíveis ao público, onde os veículos que vitimaram pessoas da própria família ou até amigos, encontram-se expostos, fazendo ressurgir a dor da perda”, complementa.

Pelo projeto apresentado por Ricardo Nezinho, a remoção e depósito dos veículos automotores envolvidos em acidentes se dará da forma mais célere possível, atendendo às exigências de ordem técnica e a guarda dos veículos se fará em locais em que não fiquem expostos à visibilidade pública, exceto os veículos a serem utilizados em campanhas publicitárias com a devida autorização da vítima ou de seus familiares. Nezinho ressalta ainda, que o projeto tem a finalidade de atender uma reivindicação que já deveria ter sido resolvida pela administração estadual.

por Assessoria

Comentários comentar agora ❯