06 Setembro 2019 - 18:40

Cibele Moura defende maior participação da mulher na política

Foto: Assessoria
Parlamentar cita números que mostram evolução, mas diz que é preciso ampliar e destacou o trabalho da bancada feminina na Assembleia

A deputada estadual Cibele Moura (PSDB) defendeu, nesta sexta-feira (6), durante instalação da Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa Estadual (ALE), a maior participação feminina na política. Cibele fez uma retrospectiva do processo de engajamento da mulher no cenário político local e disse que houve avanços, mas que é preciso ampliar os números. Declarou ainda que essa mudança só acontecerá através da política. 

“Há 86 anos, Alagoas não tinha nenhuma deputada estadual. Há 100 anos era proibido a mulher votar no Brasil. Há 85 anos, a primeira deputada estadual foi eleita em Alagoas, a deputada Lily Lages. Números que aumentaram hoje, com cinco mulheres na Assembleia. A gente forma hoje a maior bancada feminina da história de Alagoas. É verdade que a gente avançou, mas ainda falta muito”, afirmou.

Cibele apresentou os dados para mostrar que é preciso avançar. “Dos 102 municípios do Estado de Alagoas, a gente só tem 19 prefeitas, o que representa que 18,6% das prefeituras são comandadas por mulheres. Na Assembleia, somos 18,5%, na Câmara de Vereadores de Maceió cinco mulheres. Lá elas representam 23,8%, e na Câmara Federal, saímos de zero por cento, em 2014, para 11%. A gente tem apenas uma mulher deputada federal por Alagoas”, pontuou.

Disse ainda que a Procuradoria da Mulher vem para somar, para contribuir com o Parlamento e com a sociedade alagoana no combate à violência no Estado.

“É compondo uma bancada feminina que não é só a maior da história da Assembleia em número, mas em projetos, que contribuímos para esta mudança. A gente tem uma comissão atuante, que vem trabalhando em várias proposições de leis, indicações, algumas delas já atendidas pelo governador, e aqui eu posso citar a Patrulha Maria da Penha funcionando 24 horas, a Patrulha indo até o interior, em primeiro momento vai ser até Arapiraca. Cito ainda a lei que veda a nomeação de condenados pela Lei Maria da Penha no Estado de Alagoas, que é de minha autoria mas só passou por esta Casa por conta da união da bancada feminina”, ressaltou.

E finalizou fazendo um chamamento para que as mulheres estejam presentes e se engajem na política. “A gente às vezes teima em negar que política interfere na nossa vida, e enquanto deputada mais jovem do Brasil, quando converso com meus amigos, pessoas da minha idade, sinto a necessidade da gente mostrar que a política bem feita é um divisor de águas, o único instrumento capaz de mudar a realidade, de fazer com que esse Estado não seja mais o Estado que mata mais mulheres, homossexuais e negros na federação brasileira. A gente só vai mudar isso através da política. A gente só vai mudar isso fazendo políticas públicas concretas, com a participação de todos”, declarou.
 

por Ascom Cibele Moura

AquiAcontece.com.br © 2016 - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do AquiAcontece.com.br.