02 Agosto 2018 - 19:06

Ao lado do governador Renan Filho e do senador Renan Calheiros, Ronaldo Lopes participa de convenção nacional do MDB

Divulgação
Para Ronaldo Lopes, esse momento político pelo qual o país passa necessita de união

O vice-prefeito de Penedo, Ronaldo Lopes, acompanhado do governador Renan Filho e do senador Renan Calheiros, entre outras autoridades, participou nesta quinta-feira, 02 de agosto, em Brasília, da convenção nacional do MDB. O evento político terminou com a oficialização da candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles à Presidência da República.

Para Ronaldo Lopes, esse momento político pelo qual o país passa necessita de união e isso jamais será possível forçando uma candidatura que notoriamente não conta com o apoio popular.

“O MDB é um partido democrático e nós respeitamos a decisão da maioria. Apenas pensamos diferente de nossos colegas. Achamos que o momento agora seria de recuar, de se fortalecer, para voltarmos a ser protagonistas de um grande projeto de futuro do país que contasse com o apoio do povo, mas vamos em frente”, declarou Lopes em contato com a nossa redação.

Já o senador Renan Calheiros, através de suas redes sociais, reiterou que votou contra a candidatura do ‘banqueiro Meirelles’ porque ele não representa o histórico de lutas e proximidade com as causas sociais do MDB.

“Atualmente são mais de 13 milhões de desempregados, déficit nas contas públicas, corte histórico de investimentos públicos e privados, massacre dos programas sociais de ciência e tecnologia, de educação, de saúde e flexibilização dos direitos do trabalhador. Além disso, há o declínio do PIB, a previsão de inflação cada vez mais elevada e a nossa economia não consegue se levantar. Meirelles tem menos de 1% de intenções de voto. Essa candidatura é um mico”, declarou Calheiros, que já declarou seu voto no ex-presidente Lula.

O MDB oficializou a candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles à Presidência sem ter fechado qualquer aliança. Até agora, tudo indica que o partido, à frente do Palácio do Planalto desde o impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff (PT), em 2016, irá sozinho para a disputa. A senadora Marta Suplicy (SP) é um dos nomes cotados para ser vice na chapa. A ex-petista não compareceu à convenção.

O presidente Michel Temer, presente ao evento, endossou a candidatura de Meirelles ao declarar que o banqueiro o ajudou nos dois anos em que está à frente do comando do país e garantiu que ele dará continuidade "às reformas de que o país ainda precisa".

por Redação

Comentários comentar agora ❯