25 Janeiro 2018 - 10:59

Delegado acredita que ordem para execução de mulher em Igreja Nova saiu de dentro de presídio

Nesta quarta-feira, 24 de janeiro, o delegado Fernando Lustosa concedeu sua última entrevista como titular da Delegacia Regional de Penedo. No bate-papo com a radialista Martha Martyres, âncora do Programa Lance Livre da Rádio Penedo FM (97,3 Mhz e www.penedofm.com.br), foram abordados diversos assuntos.

Além de falar sobre a fraude no programa “Minha Casa, Minha Vida” e de fazer um balanço de suas ações à frente da delegacia de Penedo, o delegado falou sobre a execução de Maria Valdinete dos Santos, 37 anos, crime registrado no último domingo, 21, dentro de um bar situado no povoado Quaresma, na zona rural de Igreja Nova.

De acordo com Fernando Lustosa, apesar do pouco tempo de trabalho nesse caso, as investigações apontam que a ordem de execução da vítima pode ter partido de um traficante de alta periculosidade que cumpre pena no sistema prisional alagoano. No entanto, nenhuma outra hipótese foi descartada até o momento.

“Ainda é cedo para ter certeza de algo, mas as investigações apontam que Maria Valdinete pode ter sido assassinada por ser testemunha ocular do duplo homicídio que foi registrado no dia 23 de julho do ano passado dentro do bar que era de sua propriedade”, explicou Lustosa.

Ainda segundo o delegado, as vítimas do duplo homicídio, identificadas como Jackson Silvestre da Silva e Erinaldo dos Santos de Jesus, ambos com 20 anos, tinham ligação com o tráfico de entorpecentes e podem ter sido assassinadas a mando desse traficante da região que de dentro de um presídio alagoano continua chefiando bocas de fumo e sendo líder de quadrilhas criminosas.

“Com medo de ter seus comparsas identificados, o traficante teria ordenado a execução de Maria Valdinete, já que ela presenciou todo o crime e era considerada testemunha chave do caso. Estamos trabalhando focados nessa linha e acreditamos que, muito em breve, o delegado Gustavo Xavier, que assumirá a titularidade da delegacia regional, deva concluir esse inquérito”, enfatizou.

O delegado ressaltou mais uma vez que informações sobre a autoria do crime poderão ser repassadas ao Disk Denúncia da Polícia Civil, através do 181. A ligação é gratuita e o denunciante não precisa se identificar.
 

por Redação

Comentários comentar agora ❯