10 Agosto 2017 - 10:29

Patrão suspeito de estuprar funcionária em Penedo ainda não foi localizado pela polícia

arquivo - aquiacontece.com.br
Delegado regional, Fernando Lustosa

A Polícia Civil lotada na Delegacia Regional de Penedo deu início às investigações sobre o suposto crime de estupro registrado na noite da última terça-feira, 08 de agosto, na Avenida Wanderley, situada no bairro de Santa Luzia, parte alta do município ribeirinho.

Em contato com a nossa redação, o delegado regional Fernando Lustosa falou sobre o caso que é recheado de acusações gravíssimas e que precisam ser apuradas para que a verdade real dos fatos seja alcançada.

“As acusações são muito graves, mas ainda é cedo para fazermos qualquer afirmação. Estamos investigando e procurando o acusado Raimundo Jorge dos Santos, de 57 anos, para que ele possa contar sua versão sobre os fatos”, complementou o delegado que preside o inquérito.

Ainda segundo Lustosa, o resultado do exame de conjunção carnal feito Instituto Médico Legal de Arapiraca, e não em Maceió, como divulgado anteriormente de forma equivocada por nossa redação, deve ficar pronto em aproximadamente três semanas para que sirva como prova.

“O resultado do exame é fundamental para nossa investigação, além do depoimento do suspeito. Nossas equipes estão nas ruas o procurando e quem souber do paradeiro dele pode colaborar ligando para o número da Delegacia Regional de Penedo, que é o 3551-3700”, acrescentou o delegado.

Sobre o crime, Lustosa disse apenas que a vítima, que tem 33 anos, relatou em seu depoimento prestado nesta quarta-feira, 09, que foi abordada após o fim do expediente e violentada sexualmente dentro do estabelecimento comercial de propriedade do suspeito. Segundo ela, sua função no local era de faxineira.

“Caso o suspeito não seja encontrado para esclarecer o caso ou se apresente na delegacia de Penedo, na próxima semana pediremos à 4ª Vara Criminal de Penedo que expeça o competente mandado de prisão. A partir de então ele será considerado oficialmente como foragido da Justiça”, finalizou.

por Redação

Comentários comentar agora ❯