05 Outubro 2017 - 09:13

Caso Dyllan: pais do garoto morto por espancamento ganham liberdade provisória

Divulgação
Mesmo concedendo a liberdade ao casal, o juiz definiu algumas medidas cautelares


Meydson Alysson da Silva Leão e Joyce Silva Soares, presos desde 2016 acusados de espancar até a morte o próprio filho Dyllan Taylor Soares, de 3 anos, em Arapiraca, ganharam liberdade provisória por meio de habeas corpus nesta quarta-feira (4).

Em sua decisão favorável à defesa, o magistrado Alfredo dos Santos Mesquita justifica que a videoconferência poderia ter sido utilizado, mas não foi por falta de colaboração do sistema prisional, que não conduziu os acusados às audiências.

Ainda segundo o juiz, com isso a fase de instrução deixou de acontecer, o que para o juiz, caracteriza constrangimento ilegal na manutenção da prisão dos denunciados.

“Fica evidente o constrangimento ilegal na manutenção da prisão dos denunciados, uma vez que estes não podem ser responsabilizados pela ineficiência do Estado, haja vista ser a liberdade a regra, diante do princípio da presunção de inocência e da dignidade da pessoa humana”.

Mesmo concedendo a liberdade aos dois, o juiz definiu algumas medidas cautelares como proibição de ausentar-se da Comarca enquanto durar o processo criminal, comunicar qualquer mudança de endereço, além de comparecer aos atos para os quais forem intimados. Em caso de descumprimento, o juiz garante que vai aplicar prisão preventiva em ambos os réus.

Relembre o caso

Dyllan, de apenas 3 anos, morreu no dia 21 de janeiro de 2016 dentro da própria residência, no bairro do Planalto, em Arapiraca. O Instituto Médico Legal (IML) realizou alguns exames e constatou que a criança foi encontrada com sinais de espancamento. A Perícia Oficial divulgou que a violência acabou resultando em hemorragia intracraniana e intratorácica, que resultou na morte do menor.


 

por Redação

Comentários comentar agora ❯

  • Rayana Esse casal tem que apodrecerem na cadeia e pagar pelo que fez lugar de bandido é na cadeia