07 Dezembro 2017 - 15:20

Júri Simulado leva ao banco dos réus em Penedo figuras importantes que fizeram história em Alagoas

Cone Freire - aquiacontece.com.br
O evento foi realizado no auditório do Fórum Desembargador Alfredo Gaspar de Mendonça

Estudantes do 2° e do 3° ano do ensino médio do Colégio Sagrado Coração de Jesus, sob a coordenação do professor Alyson Dantas, participaram na manhã desta quinta-feira, 07 de dezembro, da culminância do projeto Júri Simulado.

O evento, realizado no auditório do Fórum Desembargador Alfredo Gaspar de Mendonça, levou, simbolicamente, dois casos a julgamento fazendo uma bela ligação entre o real e o imaginário.

Na primeira encenação, estudantes do 2° ano do colégio apresentaram para o conselho de sentença um caso envolvendo o ex-governador de Alagoas, Euclides Vieira Malta e o episódio que ficou conhecido como “Quebra do Xangô”.

De uma forma bem dinâmica, os estudantes encenaram os principais aspectos de uma trama real que levou o político a ser acusado de perseguição e assassinato no ano de 1928 e que até os dias de hoje divide opiniões.

Já a segunda etapa do projeto ficou a cargo de estudantes do 3° do ensino médio do colégio e retratou o caso de um senhor de engenho. Fernão Cabral Taíde sentou no banco dos réus e foi acusado de homicídio e de abusar sexualmente de suas empregadas.

Ao final do interrogatório dos dois réus e oitiva de testemunhas, assim como acontece em um Tribunal do Júri da vida real, teve início os debates. Por fim, o conselho de sentença se reuniu na sala secreta e decidiu o destino de Euclides Vieira e Fernão Cabral, sendo o primeiro considerado inocente e o segundo condenado há mais de 26 anos de prisão.

O professor e idealizador do projeto, Alysson Dantas, explicou que o evento retratou um pouco da vida dessas duas figuras públicas como uma forma de também homenagear o estado de Alagoas, que esse ano comemorou seus 200 anos de Emancipação Política.

“Escolhemos esses dois nomes para homenagear nosso estado, que tem 200 anos de muita história. Quanto ao objetivo do projeto o que tenho a ressaltar é que nossa intenção é fazer com que os alunos desenvolvam a oratória, que é arte de falar em público, através da apresentação de suas teses, tanto da defesa quanto da acusação. No entanto, o principal, nosso objetivo maior mesmo, é que os estudantes possam entender as consequências de se viver em uma sociedade alinhada com o preconceito, discriminação racial e a intolerância religiosa, fazendo-os entender que a nossa essência está em nosso interior e que não são esses aspectos que fazem alguém ser pior ou melhor que outra pessoa. Estão todos de parabéns!”, declarou Dantas.

O professor também agradeceu a direção do fórum por liberar o espaço; a diretora do colégio, Lúcia Regueira, por todo incentivo e confiança; e aos alunos e seus pais pelo apoio dado durante a elaboração do projeto.
 

por Redação

Comentários comentar agora ❯