07 Novembro 2018 - 18:40

Dupla acusada de executar sargento da PM em Penedo é condenada a mais de 20 anos de prisão

arquivo - PC/AL
Leandro e Jadson dos Santos foram condenados por homicídio qualificado

Como parte da programação do Mês Nacional do Júri, o Conselho de Sentença do Fórum Desembargador Alfredo Gaspar de Mendonça, em Penedo, julgou nesta quarta, 07, os réus Jadson Batista Soares Santos, conhecido como Babidi, e Leandro dos Santos, o Binho, acusados de serem os responsáveis pelo assassinato do sargento da reserva da Polícia Militar de Alagoas, Laércio Santos Lira.

Após todas as fases processuais inerentes ao rito do Tribunal do Júri, o Conselho de Sentença se reuniu em sala secreta e, seguindo a tese do Ministério Público de Alagoas, votou pela condenação de Jadson Batista e Leandro dos Santos pelo crime de homicídio duplamente qualificado pelo motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima, assassinada em 20 de setembro de 2016, na Vila Matias.

O juiz Antônio Rafael Wanderley Casado da Silva, titular da 4ª Vara Criminal da Comarca de Penedo e presidente da sessão, em observância a decisão dos jurados e seguindo o que estabelece a legislação penal vigente no Brasil, dosou a pena de Jadson Batista, o Babidi, em 22 anos e seis meses de prisão, a serem cumpridos em regime inicialmente fechado. Ele foi apontado como o autor intelectual do crime.

Já Leandro Santos recebeu uma pena de 21 anos de prisão, também em regime inicialmente fechado. As investigações apontaram que ele, juntamente com um adolescente de prenome Vinícius, foram os autores materiais do homicídio. Vale lembrar que o menor reagiu a abordagem policial durante operação das forças de segurança para prender os até então suspeitos e acabou morrendo, após ser alvejado em troca de tiros.

As investigações apontaram também que o crime foi praticado porque o Babidi estaria traficando na região da Vila Matias e se sentia incomodado com a presença do policial nas proximidades de sua boca de fumo, além de ter medo que o sargento Laércio o denunciasse.
 

por Redação

Comentários comentar agora ❯

Whoops, looks like something went wrong.