29 Dezembro 2018 - 07:43

Cursos impulsionam educação e trabalho nos presídios alagoanos

Oportunizar acesso à educação e qualificação profissional: este tem sido um dos trabalhos permanentes da Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris). Com ações pontuais, a pasta tem alcançado bons resultados na reintegração dos apenados, reafirmando o compromisso do Governo de Alagoas com todos os cidadãos alagoanos que anseiam por justiça e paz.

O sistema prisional alagoano possui quatro modalidades de ensino: Educação de Jovens e Adultos (EJA), Ensino Superior, Pós-Graduação e qualificação profissional. As ações deste ano contemplaram quase 700 internos. Outro vetor importante no cárcere é o acesso e incentivo à leitura. Através do Projeto Lêberdade, por exemplo, 170 obras literárias foram lidas e analisadas pelas internas que cumprem pena no Presídio Santa Luzia.

A participação dos alunos em exames nacionais também foi ativa em 2018. Quase 200 apenadas foram inscritos para fazer as provas do Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade (ENEM-PPL), outros 50 fizeram o Exame Supletivo PPL e cerca de 400 participaram do Exame Nacional de Certificação de Competências de Educação de Jovens e Adultos.

Para a gerente de Educação, Produção e Laborterapia da Seris, agente penitenciária Andréa Rodrigues, as ações da pasta impactam na vida dos internos. “Trata-se da possibilidade de sustentar a família com um trabalho digno, ser alfabetizado e ingressar no Ensino Superior. Além disso, há o resgate da autoestima e do sentimento de existir como sujeito, podendo sonhar e crer num futuro promissor”, afirma.

por Agência Alagoas

Comentários comentar agora ❯