08 Abril 2009 - 10:45

Déda busca recursos para o sertão sergipano

Foto:Sérgio Amaral

Depois de participar na última segunda-feira, 6, da 10ª reunião do Fórum dos Governadores do Nordeste na cidade de Montes Claros, em Minas Gerais, o governador Marcelo Déda foi a Brasília, onde permanece para cumprir uma agenda de trabalho com duas frentes principais: buscar recursos junto ao Governo Federal para estender ainda mais o Plano Sertanejo de combate à estiagem prolongada no Sertão sergipano, e cobrar da União medidas para minorar os efeitos da crise econômica nos orçamentos de estados e municípios.

Em audiência com o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira, nesta terça-feira, 7, o governador solicitou a prorrogação do estado de emergência para os municípios sergipanos que continuam sofrendo com os efeitos da seca e pediu agilidade na liberação de mais recursos para que o Estado possa ampliar as ações do Plano Sertanejo, lançado em Porto da Folha e Poço Redondo no final de março.

Crise

Já ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, Déda expôs as perdas de Sergipe na arrecadação de fontes importantes de receita como o Fundo de Participação dos Estados (FPE), o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), e os royalties provenientes da exploração do petróleo.

O governador solicitou ainda que o Governo Federal adote medidas emergenciais para minorar os efeitos da crise nos estados e municípios. "O ministro Guido Mantega informou que o Governo Federal já está estudando uma linha de crédito especial através do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social [BNDES] para este objetivo", explicou Marcelo Déda, que disse estar esperançoso quanto às novas medidas que deverão ser anunciadas pelo presidente Lula na próxima semana.

A audiência com Mantega deu prosseguimento a uma série de reuniões realizadas entre Déda e os ministros da Casa Civil, Dilma Rousseff, do Planejamento, Paulo Bernardo, e os governadores da Bahia, Jacques Wagner, de Pernambuco, Eduardo Campos, e do Piauí, Wellington Dias. Nesta quarta-feira, 8, o governador deve se encontrar com os ministros da Agricultura, Reinhold Stephanes, e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias.

Na próxima semana, Marcelo Déda vai reunir todo o secretariado estadual para avaliar os impactos da crise na arrecadação do Estado no primeiro trimestre de 2009 de modo a manter os serviços públicos em pleno funcionamento e assegurar a continuidade dos investimentos estruturantes, que geram empregos e movimentam a economia.

por Rafael Medeiros com SECOM/SE

AquiAcontece.com.br © 2016 - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do AquiAcontece.com.br.