13 Junho 2019 - 10:01

ONGs criticam decisão de reduzir unidades de conservação ambiental

Divulgação
Segundo o Ministério da Infraestrutura, existem 54 unidades de interceptadas por rodovias e ferrovias e 37 com rodovias e ferrovias as margeando

Organizações socioambientais brasileiras e internacionais reagiram nesta quarta-feira (12) à decisão do governo Jair Bolsonaro de reduzir mais de 60 unidades de conservação que têm estradas federais, ferrovias, portos e aeroportos dentro de seus limites, de acordo com avaliação do próprio governo.

Reportagem publicada nesta quarta pelo jornal O Estado de S. Paulo revela que o governo trabalha na elaboração de um projeto de lei para eliminar “interferências” com estruturas existentes e dar “segurança jurídica” para os empreendimentos — sejam estes públicos ou concedidos à iniciativa privada. A medida é defendida por entidade de concessionárias de rodovias.

“O formato de pacote de reduções de parques explicita o desprezo por critérios técnicos e científicos de proteção da natureza para sujeitar essas áreas à ocupação desordenada e a atividades econômicas predatórias”, disse Márcio Santilli, sócio fundador do Instituto Socioambiental (ISA).

Documento obtido pela reportagem revela que, segundo o Ministério da Infraestrutura, “existem 54 unidades de conservação interceptadas por rodovias e ferrovias”, além de outras “37 rodovias e ferrovias que margeiam unidades”.

por Revista Exame

Comentários comentar agora ❯