08 Abril 2017 - 09:08

Ministro do Meio Ambiente defende conservação dos biomas

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, promoveu nesta sexta-feira (7/4), em São Luís (MA), a cerimônia de acolhimento da Campanha da Fraternidade de 2017 pelo Ministério do Meio Ambiente, que tem como tema “Biomas brasileiros e defesa da vida”. O evento, realizado na Faculdade Católica, contou com a participação do arcebispo de São Luís, dom José Belisário da Silva, que agradeceu a oportunidade "de abrir um diálogo com o ministério sobre o tema".

A cerimônia contou com a participação do reitor da faculdade, padre Abraão Collins; deputado federal Victor Mendes; deputado estadual Adriano Sarney; superintendente do Ibama no Maranhão, Pedro Leão; representantes da Comissão de Justiça e Paz e alunos da Faculdade Católica.

Ao falar sobre a iniciativa de pasta de reforçar as ações da campanha lançada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o ministro Sarney Filho afirmou que o tema deste ano é tão relacionado ao trabalho do Ministério do Meio Ambiente, “que passou a fazer parte da agenda do MMA”.

A exemplo da programação realizada no dia 15 de março, quando o MMA, junto com a Frente Parlamentar Ambientalista realizou evento em Brasília, com a presença do secretário-geral da entidade, dom Leonardo Steiner, o arcebispo de São Luís participou, junto com o ministro, do plantio e da bênção de 240 mudas, doadas pelo Ibama-MA, que representavam os cinco biomas brasileiros. O ministro plantou um pau-brasil e dom Belisário, uma castanheira do brasil.

“Toda parceria é bem-vinda quando se trata de proteger o meio ambiente”, disse dom Belisário, que chamou a atenção para os problemas enfrentados pelo Maranhão com as ameaças de destruição dos diferentes ecossistemas encontrados no estado.

VEGETAÇÃO NATIVA

O ministro reforçou as palavras do arcebispo. “O Maranhão é um estado especial, pois abriga nada menos do que três biomas: faz parte da Amazônia Legal e ainda conta com extensas áreas de Cerrado e de Caatinga. Eles têm suas riquezas e suas fragilidades próprias, mas todos precisam de cuidados para a proteção da vegetação nativa, da água, da biodiversidade”, alertou. “É preciso conhecer para cuidar e a Campanha, com muita propriedade, convida a ver, julgar e agir”, disse o ministro.

Depois de citar os biomas, inclusive o bioma marinho brasileiro, o ministro enfatizou a importância de proteção da água. "A proteção da vegetação nativa, especialmente em volta de nascentes e matas ciliares, é fundamental para a produção e o fornecimento de água. E as florestas são responsáveis pela evaporação e a permeabilidade do solo, controlando a erosão, diminuindo a gravidade das enchentes, favorecendo as precipitações e alimentando os lençóis freáticos", afirmou Sarney Filho.

"Por isso, nesses tempos de crise hídrica em que vivemos, ações de recomposição da cobertura vegetal merecem destaque. O ministério está assumindo essa pauta, que irá beneficiar todos os biomas. Os rios precisam de árvores", defendeu.

por Assessoria

Comentários comentar agora ❯