06 Novembro 2009 - 06:37

Agência inaugura sala para monitorar situação de chuvas e rios

Agência Brasil
O diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), José Machado, observa os dados sobre a atual situação dos reservatórios do país e os riscos d

A Agência Nacional de Águas (ANA) inaugurou nesta quinta (5) um sistema para monitorar rios, chuvas e reservatórios brasileiros. A “sala de situação” receberá informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe), do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs).

Coordenada pela ANA, a rede é composta por 14.882 estações de monitoramento e mede o volume de chuvas, a evaporação da água, o nível e a vazão dos rios, a quantidade de sedimentos e a qualidade das águas.

Segundo o diretor-presidente da ANA, José Machado, será possível alertar o Sistema Nacional de Defesa Civil sobre a possibilidade de chuvas e secas e assim estados e cidades possam tomar as providências necessárias para prevenir ou minimizar seus efeitos. “Cada região do país tem uma situação específica que temos que acompanhar”, explicou.

Algumas regiões onde os reservatórios estão cheios podem vir a enfrentar enchentes nos próximos meses, mas Machado garante que não há motivo para a população se preocupar. “O que estamos dizendo é que a situação é preocupante, mas que temos instrumentos para agir”, afirmou. “O risco para a população é pequeno, mas existe.”

Segundo Machado, as chuvas intensas dos últimos dois anos levaram os reservatórios a atingir o maior volume dos últimos dez anos. Em algumas regiões, o solo está encharcado, com baixa capacidade de absorção de água. Estes fatores, diz ele, contribuem para elevar o risco de os reservatórios transbordarem com as chuvas. Os reservatórios mais cheios estão nas regiões Sudeste, Nordeste e Sul.

por Agência Brasil

Comentários comentar agora ❯