05 Outubro 2017 - 11:17

IMA/AL participa de VIII Simpósio de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto


Técnicos da Assessoria de Geoprocessamento do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL) participam, em Salvador-BA, do VIII Simpósio de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto. O evento, que é bienal e de cunhos técnico, científico e social, ocorre entre os dias 3 e 6 deste mês e se propõe a discutir as novas tecnologias e abordagens de gestão do território fazendo uso das geotecnologias.

Nesta quinta-feira (5) os técnicos do IMA apresentam seu trabalho no monitoramento ambiental dos focos de queimadas ocorridos em Unidades de Conservação e Fragmentos de vegetação nativas no período observado entre os anos de 2015 e 2016.

Uma atividade da rotina do setor de Geoprocessamento que foi transformada em artigo técnico-científico elaborado pelo assessor Daniel Conceição, pelos estagiários Whendel Couto e Elizangela Oliveira e pelos bolsistas Alex Nazário e Esdras Andrade, permitindo, assim, sua apresentação com discussão e que será publicado nos anais do simpósio.

O tema central desta edição do evento, “Geotecnologias: Gestão e Planejamento”, propõe fortalecer as discussões sobre a pluralidade de aplicações das tecnologias geográficas em projetos que envolvem tanto a gestão quanto o planejamento dos meios ambientais, rurais e urbanos.

Os técnicos do IMA/AL estão, ainda, trocando informações através de discussões sobre os desafios e possibilidades de aprimoramento da eficiência e da relevância do serviço público com o emprego das geotecnologias na questão ambiental, já que a Assessoria de Geoprocessamento do órgão está disponibilizando os dados geográficos utilizados no setor para fins de conhecimento da realidade geográfica alagoana.

Além disso, informações de interesse e de uso da sociedade local estão sendo socializadas entre os participantes do simpósio, mediante as emissões de relatórios como os de monitoramentos da balneabilidade das praias e dos focos de queimadas, da localização das áreas de interesse dos licenciamentos ambientais e, brevemente, do de localização das infrações ambientais.

Essa postura que o IMA/AL vem adotando está de acordo com a Lei de Acesso à Informação, o que permite dar transparência à gestão ambiental em Alagoas e, além disso, aproximar o cidadão alagoano na gestão participativa do seu território.

Nesse contexto, os técnicos estão buscando se atualizar em experiências de outras iniciativas, desenvolvidas em outros estados da federação, que têm potencial de ser aplicadas aqui no Estado, como por exemplo, o monitoramento do avanço da desertificação na região semiárida, os desafios para aprimoramento da gestão ambiental em imóveis rurais, a partir dos dados levantados pelo Cadastro Ambiental Rural (CAR). 

por Agência Alagoas

Comentários comentar agora ❯