02 Março 2010 - 08:49

Semarh-SE participará do Encontro Nacional de Desertificação

O secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), Genival Nunes, junto com equipe técnica ambiental do órgão, participará no período de 03 a 05 de março, do I Encontro Nacional de Enfrentamento da Desertificação (I INED), promovido em parceria pelo Ministério do Meio Ambiente e o Ministério da Integração Nacional. O evento ocorrerá nas cidades de Juazeiro-BA e Petrolina-PE, e contará com as presenças do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, governadores dos 11 Estados da região Sudeste e Nordeste, entre eles, o governador Marcelo Déda, além de ministros e presidentes de órgãos federais.

O I ENED tem como objetivo central o fortalecimento político-institucional da agenda do combate à desertificação e da implementação do Programa de Ação Nacional de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAN-Brasil) e dos Programas de Ação Estadual de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAE), com a mobilização e pactuação de compromissos entre os atores relevantes (tomadores de decisão), de sorte a poder elevar o patamar de prioridade dessa Agenda em todas as esferas da sociedade brasileira.

Para alcançar os objetivos do PAN-Brasil, dentro do Estado de Sergipe, algumas ações já estão sendo desenvolvidas. Será criado, no Estado, o Grupo Permanente de Combate à Desertificação (GPCD/SE) com o intuito de subsidiar os pontos focais na sensibilização, articulação e coordenação das atividades de abrangência estadual no âmbito do PAN - Brasil.

Para o superintendente de Desenvolvimento Sustentável e Educação Ambiental da Semarh, Licio Valério Lima, que participará dos dois dias do evento, a formação do grupo busca facilitar o intercâmbio de informações; promover pactos, negociações, cooperação e consulta; e garantir a gestão participativa, dentre outras ações.

Segundo o secretário do Meio Ambiente, Genival Nunes, o encontro irá possibilitar um diálogo ampliado com troca de informações. “A desertificação além de tornar a região vulnerável à seca causando prejuízos diretos na agricultura e pecuária com perdas sensíveis para a economia dos locais atingidos, causa ainda muitas perdas, como a da biodiversidade, dos solos por erosão e diminuição dos recursos hídricos. Esses problemas remetem ao abandono das terras pela população, a qual migra para as cidades gerando ainda aumento dos problemas ambientais e sócio-econômicos urbanos”, frisou.

Ações

Pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente, como apoio às comunidades das regiões de desertificação no Estado, foram realizadas ações voltadas em Educação Ambiental, a exemplo do Coletivo Educador, um espaço estruturante para a realização de educação ambiental no território do alto sertão sergipano, com produção do Projeto Político Pedagógico onde as ações propostas serão viabilizadas ainda esse ano.

Também, junto a convênio ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), estão sendo finalizados os planos de Gestão integrados de Resíduos Sólidos nos municípios em foco, e com investimento federal. A proposta de implantação do Aterro Sanitário que está previsto para Nossa Senhora da Glória.

Quanto à preservação da biodiversidade, a Semarh, através do Governo do Estado, criou a Unidade de Conservação Estadual “Monumento Natural Grota do Angico” situada no Alto Sertão Sergipano, entre os municípios de Poço Redondo e Canindé de São Francisco, que abriga na região remanescentes florestais da Caatinga, e que possui valor histórico e cultural para o sertão sergipano e para o Nordeste. E ações de infra-instrutora, tais como Luz para Todos, saneamento básico e melhoria na malha viária dos municípios do alto sertão.
 

por Ascom Semarh-SE

Comentários comentar agora ❯