14 Agosto 2017 - 20:57

Sinait vem ao Estado de Alagoas discutir situação da Superintendência do Trabalho

Assessoria
O encontro teve o objetivo de encontrar alternativas para amenizar os prejuízos

O presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (SINAIT) Carlos Silva, esteve em Alagoas nesta segunda-feira (14) e foi recebido pela categoria na sede da Delegacia Sindical (DS). O encontro teve o objetivo de encontrar alternativas para amenizar os prejuízos causados aos trabalhadores com a interdição da sede da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE)

Carlos Silva reforçou a necessidade de se criar uma comissão, até que a superintendência esteja com suas atividades em um local adequado, reunindo os auditores fiscais, os servidores administrativos, as centrais sindicais e os parlamentares da bancada alagoana, para cobrar do Ministério do Trabalho a solução para o restabelecimento do pleno funcionamento da SRTE. Carlos Silva sugeriu ainda a criação de um calendário de atos públicos com o máximo de representatividade das entidades parceiras e a possibilidade de serem publicadas nos veículos de comunicação notas informativas sobre os prejuízos que a falta de uma sede está trazendo aos trabalhadores.

“Todas essas medidas irão exigir uma resposta definitiva. Sabemos que o planejamento para 2018 já está acontecendo e essas discussões evitarão que se repita o que está acontecendo atualmente. Vamos construir várias iniciativas, até que consigamos resolver o problema. Não queremos deixar se instalar a ilusão do provisório de maneira permanente. O Pará está há mais de cinco anos aguardando uma solução para o prédio deles. Não se dá continuidade a nada quando há mudanças políticas e os trabalhadores amargam os prejuízos”, pontuou Carlos Silva.

A presidente da Delegacia Sindical em Alagoas, Martha Fonseca, disse que concorda com as medidas sugeridas pelo presidente do SINAIT e garante que irá se empenhar para coloca-las em prática. “Com a reforma trabalhista a demanda tende a aumentar ainda mais e temos que dar a atenção necessária aos trabalhadores. Sem contar com a qualidade dos serviços prestados pelos servidores que precisam estar bem instalados e com condições adequadas para o bom desempenho das funções”, reforçou o chefe de Inspeção do Trabalho em Alagoas, José Eusébio da Silva, que assumiu a função em março deste ano e desde então tem travado uma batalha para que a inspeção funcione conforme preconiza o Ministério do Trabalho.

“Lutamos para que a interdição acontecesse, porque não havia mais condições de trabalho na antiga sede. A inspeção do Trabalho está ocupando algumas salas do edifício Walmap, mas chegamos a conclusão que não atende à função. Não é um local adequado para ficarmos, mesmo que por pouco tempo, devido a demanda ser grande. Precisamos de uma repartição que tenha condições de expansão e não de contração”, finalizou.
 

por Assessoria

Comentários comentar agora ❯