14 Julho 2017 - 21:39

Documentário conta a trajetória do ator Paulo Gracindo

A Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), exibiu, na noite dessa quinta-feira (13), no Centro Cultural Arte Pajuçara, o longa-metragem “Paulo Gracindo – O Bem Amado”. O evento antecedeu a cerimônia de inauguração da escultura do ator Paulo Gracindo.

“Temos sempre que enaltecer figuras como a de Paulo Gracindo. Começamos em 2015, com Graciliano Ramos e Aurélio Buarque de Holanda, com esculturas inauguradas em 2015. Fizemos o mesmo com Pontes de Miranda, que deu nome à Via Litorânea, e agora, chegando aos 200 anos de Alagoas, nada melhor do que homenagear esse grande ator que levou tão bem o nome do nosso estado para o Brasil e o mundo”, disse o prefeito Rui Palmeira.

Para Gracindo Júnior, filho de Paulo Gracindo e diretor do filme, é uma honra ver o pai homenageado na terra que tanto gostava. “Estar em Maceió já é a coisa mais importante. Praticamente nasci aqui. A cidade é a minha casa. Falar de Maceió é falar da história de Paulo Gracindo e das coisas mais bonitas que fez como ator. Nesta noite apresentamos um filme que conta um pouco de tudo o que ele fez”, destacou.

O documentário foi lançado em 2009 e tem duração de 80 minutos. Ele retrata a longa trajetória do ator, que se considerava alagoano por ter, após o nascimento no Rio de Janeiro, em 1911, se mudado com a família para Maceió, onde viveu até o fim da década de 1920.

“Estamos fazendo uma série de homenagens a alagoanos ilustres desde 2015, quando Maceió celebrou 200 anos. Agora completamos com mais uma obra de Leo Santana, responsável pelas esculturas de Graciliano Ramos e Aurélio Buarque de Holanda. Paulo Gracindo, que nasceu no Rio de Janeiro, foi uma referência na Pajuçara. O bairro, onde a família dele vivia, ganha um novo referencial cultural, trazendo novas divisas para o turismo e para a cidade”, destacou Vinicius Palmeira, presidente da FMAC.

Paulo Gracindo é considerado o ator egresso de Alagoas mais popular e reconhecido no Brasil do século passado. O ator consagrado fez história no teatro, no rádio, na TV e no cinema.

O antológico prefeito Odorico Paraguaçu, da novela “O Bem Amado” de Dias Gomes, rendeu ao ator os prêmios de melhor ator da Associação Paulista de Críticos de Arte e da rede de TV Mexicana Televisa. Sua despedida da teledramaturgia foi uma participação especial na minissérie “Agosto”, em 1993.⁠⁠⁠⁠

por Secom - Maceió

Comentários comentar agora ❯