28 Abril 2010 - 09:02

Barça tem que vencer a Inter com folga na Liga dos Campeões

GE
Messi e Lúcio voltam a se encontrar no Camp Nou

Segundo os treinadores das equipes, o equilíbrio é a tônica do seus times. Josep Guardiola, técnico do Barcelona e José Mourinho, treinador da Inter, acham que não há diferença no nível técnico entre os dois times, algo que boa parte do mundo entendia haver até o primeiro confronto pela semifinal da Copa dos Campeões, que acabou com vitória de 3 a 1 da equipe italiana. Até uma derrota por um gol de diferença classifica a Inter no Camp Nou, nesta quarta-feira.

"A Inter é um extraordinário time. Todos falam muito de nós e dizem coisas pesadas sobre a Inter. Nós temos que ter a posse de bola e atacar mais do que fizemos no primeiro jogo", falou Guardiola, que luta por um bicampeonato genuíno, algo inédito ainda na era moderna da Copa dos Campeões --o último bi foi o Milan de 1989/90.

"Será um jogo diferente daquele de novembro, quando o Barcelona foi superior em muitos aspectos [2 a 0 na fase de grupos]. Eu também espero um jogo diferente daquele primeiro [3 a 1 Inter no jogo de ida da semifinal]. O Barcelona ainda é o grande time que era em novembro e dezembro, mas a Inter melhorou", afirmou Mourinho, que já foi campeão europeu com o Porto em 2004.

Se o Barcelona defende o título da Copa dos Campeões, a Inter busca um título que não alcança desde 1965. "Não posso dizer que é meu sonho porque já venci a Copa dos Campeões, mas para a Inter, que não vence há mais de 40 anos, é um sonho", falou Mourinho, que carrega a fama de egocêntrico.

No jogo de ida, a defesa da Inter anulou bem Messi, o artilheiro do Barcelona e da Copa dos Campeões. Thiago Motta fez grande partida, assim como os defensores brasileiros: o goleiro Júlio César, o lateral-direito Maicon e o zagueiro Lúcio. O único jogador suspenso no time italiano é Stankovic.

Sneijder, meia holandês que tem sido o grande destaque da Inter, não está 100% fisicamente, mas vai para o jogo decisivo.

"Vamos ver se o Sneijder pode jogar os 90 minutos. Ele tem uma lesão leve, mas irá jogar. Existem jogos importantes depois deste [partidas finais do Italiano e possível final da Copa dos Campeões], mas teremos que correr o risco. O placar está 3 a 1, mas há 90 minutos. A história é cheia de casos de times que têm vantagem e acabam perdendo", falou Mourinho.

Guardiola tem adotado mais uma vez o discurso para que seus jogadores "se divirtam" em campo e façam a torcida sair satisfeita do estádio.

"Não sei se conseguiremos virar o resultado. Queremos chegar à final e temos um bom time, mas nunca dissemos que a vaga era certa. Em Milão, saímos na frente e então paramos de buscar o segundo gol. Nós respeitamos a Inter demais. Mas estamos felizes. É um prazer disputar este jogo. Quero que os jogadores saibam que é um privilégio estar aqui e que podemos não ter essa chance de novo", falou Guardiola.

Iniesta e Abidal, contundidos, não poderão jogar no Barcelona. Nem o zagueiro Puyol, suspenso. O brasileiro Daniel Alves, que pode atuar na lateral ou mais adiantado, está pendurado e poderá ficar fora de uma possível final no campo do arquirrival Real Madrid.

por Robson Lessa com informações Folha Online

Comentários comentar agora ❯