21 Agosto 2009 - 12:52

Ação criminal contra Máfia do Apito acaba em pizza

 O Tribunal de Justiça de São Paulo trancou a ação criminal que tramitava naquele estado contra a famigerada Máfia do Apito. O escândalo ocorreu em 2005 e os maiores protagonistas deste triste episódio do futebol brasileiro foram os árbitros Edílson Pereira de Carvalho e Paulo José Danelon. Naquela oportunidade,11 jogos do Campeonato Brasileiro foram manipulados com a conivência dos referidos juízes e  tiveram que ser remarcados, pois os resultados  ficaram sob suspeita.

 Segundo o TJ-SP, manipular resultados como os sete envolvidos fizeram, enganando os torcedores, não é estelionato nem formação de quadrilha como sustentava o Ministéro Público da capital paulista. A decisão desagradou a todos os amantes do futebol que esperavam uma punição exemplar para os envolvidos. Segundo a imprensa esportiva, esse resultado poderá encorajar novos árbitros a seguirem pelo mesmo caminho, tornando o futebol brasileiro, um verdadeiro mar de lama.

O Promotor José Reinaldo Guimarães Carneiro, lamentou que milhares de páginas não foram analisadas e que não houve sequer o julgamento do mérito. Foram meses de trabalho e deu no que deu. Lastimável essa decisão tomada pelo TJ,  lembrando o Promotor que esse caso teve uma repercursão imensa, chegando até  ao conhecimento da mídia internacional.

É bom lembrar que ainda tramita no Congresso Nacional, um projeto de lei para transformar a manipulação de resultados em crime.  Isso significa que atualmente, nada do que aconteceu pode ser taxado de delito.  

por Robson Lessa | Esporte

Comentários comentar agora ❯